Linha 15-Prata continua paralisada neste fim de semana

66
Monotrilho Pátio Linha 15-Prata
Pátio Oratório do monotrilho na região do Jardim Independência, na Zona Leste (Foto: Robson Ramos/Rádio Trânsito)

A Linha 15-Prata do monotrilho continuará fechada por tempo indeterminado, enquanto são apuradas as causas para identificar as causas do estouro do pneu de um dos trens do monotrilho.

No dia 27 de fevereiro, por volta das 6h40, uma peça (chamada de run flat) de um dos pneus do trem M20, caiu na Avenida Sapopemba, na região da estação Jardim Planalto. A peça quase atingiu a fachada de uma loja de ferragens.

O monotrilho está paralisado desde o dia 29 de fevereiro, enquanto isso, neste sábado e domingo, dias 7 e 8 de março, respectivamente, os passageiros serão atendidos gratuitamente por ônibus articulados do sistema Paese (Plano de Apoio entre Empresas em Situação de Emergência), sendo 30 ônibus no sábado e 30 ônibus no domingo, que vão circular de São Mateus à Vila Prudente (confira os itinerários completos no fim deste post), entre 4h20 e meia-noite.

Uma outra opção de deslocamento são as linhas de ônibus alternativas ao monotrilho da Linha 15-Prata.

Paese

O secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, Alexandre Baldy, disse em entrevista coletiva nesta sexta-feira, dia 6 de março de 2020, que a frota de ônibus do sistema Paese pode ser ampliada para transportar os passageiros que não podem contar desde o dia 29 de fevereiro com o monotrilho da linha 15-Prata.

“Todas nossas equipes das estações foram colocadas nas calçadas para que nós possamos conseguir ajudar a orientar os passageiros para embarque e desembarque com segurança e com eficiência. Portanto, haverá o sistema Paese enquanto durar a paralisação da linha 15-Prata do monotrilho. Haverá nossas equipes para analisar se esse sistema está sendo suficiente ou se é necessário ainda aumentar a frota para atender adequadamente a população”, disse Alexandre Baldy.

As empresas de ônibus ViaSudeste, Metrópole Paulista e Sambaíba atendem a frota do sistema Paese.

O Metrô solicita e paga à SPTrans, os ônibus. Com base na demanda o Metrô determina a frota. A SPTrans convoca as empresas de ônibus mais próximas da Linha 15-Prata para operar o sistema Paese e repassa o pagamento para as concessionárias.

Laudo

O secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, Alexandre Baldy, disse também nesta sexta-feira, que o laudo com as possíveis causas do estouro do pneu do trem M20 do monotrilho da Linha 15-Prata deve ficar pronto na segunda-feira, dia 9 de março.

Na madrugada deste sábado, dia 7 de março, devem ser realizados testes com sensores nas rodas e peças de um dos trens.

“Após estes testes na madrugada de sábado, os laudos serão enviados para as equipes da Bombardier, que são os responsáveis pela investigação nos seus devidos locais de análise, para que até segunda-feira, tenhamos sim esse laudo concretizado para que nós possamos ter essa solução encontrada e sim possamos ter a operação do monotrilho dentro do planejamento, dentro de segurança havendo a sua retomada”, disse o secretário.

Prejuízos

O Governo do Estado de São Paulo vai acionar a justiça para cobrar do Consórcio Expresso Monotrilho Leste todos os prejuízos decorrentes da paralisação da Linha 15-Prata, por problemas apresentados nos trens do monotrilho.

O Consórcio Expresso Monotrilho Leste é formado pela fabricante de trens Bombardier e pelas construtoras Queiroz Galvão e OAS.

A estimativa é que o prejuízo seja de R$ 1 milhão diariamente pela paralisação recomendada pela Bombardier desde o dia 29 de fevereiro. De acordo com o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, “o maior prejuízo é a população não ter a perspectiva de retorno de funcionamento do modal de transporte público, deixando trabalhadores e trabalhadoras sem o meio de transporte mais eficiente”.

O Metrô mantém um gabinete de crise e acompanhamento das atividades de investigação da causa do incidente ao pneu e run flat do monotrilho, além de cobrar urgência na retomada da operação da linha com absoluta segurança.

Proibição

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos informou que na próxima semana será tratado com órgãos competentes, um pedido de declaração de inidoneidade para o Consórcio Expresso Monotrilho Leste, proibindo as empresas (Bombardier, Queiroz Galvão e OAS) de celebrarem novos contratos com poder público em todo o Brasil.

CPI do monotrilho

Um grupo de 35 deputados quer instaurar a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do monotrilho para saber o nível de segurança do monotrilho.

“As falhas nos equipamentos em operação nesta linha são frequentes, tendo fatos similares ocorridos ao longo do mês de fevereiro, fato este inadmissível, pois coloca a população da região Leste da capital paulista em risco, ao utilizar um meio de transporte inseguro”, diz parte do pedido.

Metrô

O Metrô divulgou nesta sexta-feira um comunicado sobre os testes para identificar as causas dos danos aos pneus, cobrança na resolução dos problemas e prejuízos. Leia abaixo o comunicado na íntegra.

“Nesta sexta (6), foram iniciados os testes dinâmicos com trens circulando pela via da Linha 15-Prata, para identificar a causa dos danos aos pneus do monotrilho. Ao longo da semana, as inspeções foram feitas nos trens. Essas atividades são realizadas por técnicos do consórcio CEML (Bombardier, Queiroz Galvão e OAS) e o Metrô mantém estrito acompanhamento das atividades por meio de um comitê de técnicos da Companhia.

Também cobra urgência na resolução do problema, possibilitando a retomada da operação da linha com todas garantias de funcionamento seguro. Também estão sendo levantadas as providências para a penalização do Consórcio.

O Governo do Estado vai entrar na justiça para cobrar ressarcimento aos prejuízos da paralisação da linha por recomendação da Bombardier – estimativa de prejuízo de R$ 1 milhão de reais por dia parado.

E já na próxima semana tratar com os órgãos competentes para tornar inidôneos os responsáveis pelo problema, impedindo-os de celebrar contratos públicos no Brasil. Os passageiros continuam atendidos por 60 ônibus articulados do Paese.”

Itinerário da linha especial Estação São Mateus – Estação Vila Prudente

Confira abaixo o itinerário da linha especial Estação São Mateus – Estação Vila Prudente, ou seja, que opera de São Mateus à Vila Prudente:

Ida: Estação São Mateus, Avenida Sapopemba, Estação Fazenda da Juta, Avenida Sapopemba, Estação Sapopemba, Avenida Sapopemba, Estação Jardim Planalto, Avenida Sapopemba, Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, Estação Vila União, Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, Estação Vila Tolstói, Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, Estação Camilo Haddad, Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, Estação São Lucas, Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, Estação Oratório, Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, Complexo Viário Senador Antônio Ermínio de Barros Filho, Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello e Estação Vila Prudente.

Volta: Estação Vila Prudente, Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, Rua Ibitirama, Rua Cavour, Rua Itamumbuca, acesso à Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, Estação Oratório, Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, Estação São Lucas, Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, Estação Camilo Haddad, Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, Estação Vila Tolstói, Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, Estação Vila União, Avenida Professor Luiz Ignácio de Anhaia Mello, Avenida Sapopemba, Estação Jardim Planalto, Avenida Sapopemba, Estação Sapopemba, Avenida Sapopemba, Estação Fazenda da Juta, Avenida Sapopemba e Estação São Mateus.

 

Deixe seu comentário