Alexandre Baldy espera que primeiro trem da Linha 17-Ouro seja entregue antes de 18 meses

65
Monotrilho BYD
Foto: Divulgação/Secretaria dos Transportes Metropolitanos

A fabricante BYD, responsável pela fabricação dos 14 trens do monotrilho da Linha 17-Ouro, terá que readequar seu projeto original para que os trens possam operar na futura linha que vai ligar a estação Morumbi ao Aeroporto de Congonhas.

A informação foi passada pelo secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, nesta sexta-feira, dia 29 de maio de 2020, durante entrevista a portais de mobilidade.

A readequação precisará ser feita por causa das vigas, que estão instaladas prevendo os trens da Scomi, que decretou falência.

Alexandre Baldy informou que conversou com a BYD para que a primeira composição fabricada seja entregue antes de 18 meses.

Na última terça-feira, dia 26 de maio, o Metrô de São Paulo assinou a Ordem de Serviço para a fabricação dos 14 trens. O documento permitirá também a colocação das portas de plataforma nas oito estações e instalação dos sistemas de controle e sinalização.

A BYD iniciará o serviço com prazo de 720 dias para a montagem do primeiro trem que será avaliado pelo Metrô e, em caso de aprovação, permitirá a montagem dos outros 13 trens.

O contrato com a BYD, que tem valor de R$ 989 milhões e prazo de 38 meses, contempla também a instalação dos sistemas de captação de energia, redes de fibra óptica, controle centralizado, máquina de lavar trens, veículos de inspeção e manutenção de via, além de vigas para testes dos trens.

Deixe seu comentário