Casos de assédio sexual em trens do Metrô e da CPTM dobram em 4 anos

Metrô tem uma campanha para incentivar mulheres a denunciar abusos. Número de casos de assédio passou de 80, em 2011, para 168, em 2015.

325

Os casos de assédio sexual em trens do Metrô e da CPTM dobraram nos últimos 4 anos. O telejornal SPTV da TV Globo teve acesso aos dados pela Lei de Acesso à Informação. O número de casos de assédio passou de 80, em 2011, para 168, em 2015. Nesse período, foram registrados dez estupros e 564 suspeitos acabaram detidos.

Para o Metrô, as campanhas de combate a esse crime têm ajudado as mulheres a criar coragem para denunciar. Já as mulheres dizem que não aguentam mais e por isso se recusam a ficar caladas.

O Metrô tem uma campanha para incentivar as mulheres a denunciar os abusos desde 2014. Para o chefe de segurança do Metrô, Rubens Menezes, é por isso que o número de registros aumentou.

“Muitas ocorrências, você atende a mulher, atendia na verdade, e ela não queria fazer o registro. Hoje, nós fazemos todo um trabalho específico para estimulá-la a fazer o registro”, afirmou.

Se você for vítima ou se perceber um caso de assédio nos trens, o melhor caminho é procurar imediatamente um funcionário do Metrô ou da CPTM na estação mais próxima. O número do SMS Denúncia do Metrô é o 97333-2252 e da CPTM é o 97150-4949.

Leia também: 

SMS Denúncia da CPTM

SMS Denúncia do Metrô

Deixe seu comentário