Protesto por moradia interdita Avenida Dona Belmira Marin e desvia ônibus na Zona Sul

Uma manifestação com cerca de cem pessoas bloqueou a Avenida Dona Belmira Marin, na Zona Sul de São Paulo, na manhã desta segunda-feira (14). Os manifestantes, que fazem parte de uma ocupação, pediam moradia popular.

O protesto começou na região da Chácara do Sol, ocupação irregular, e seguiu pelas vias da Zona Sul da capital paulista. Os manifestantes foram até a Subprefeitura Capela do Socorro.
Por volta das 6h40, o grupo estava na esquina da Avenida Dona Belmira Marin com a Avenida Senador Teotônio Vilela, no sentido Marginal Pinheiros. A via estava totalmente bloqueada e provocava lentidão no local.

Segundo a SPTrans (São Paulo Transportes) linhas de ônibus tiveram que ser desviadas do local. Passageiros desciam dos coletivos e seguiam o caminho a pé.

“Nós queremos que o prefeito [Haddad] dê uma moradia para nós, uma moradia pessoal ou organizar um terreno pro pessoal ficar, qualquer coisa”, disse o líder da ocupação, Joselino da Silva.

A Polícia Militar acompanhou o grupo. Por volta das 7h, os manifestantes liberaram a faixa da esquerda da Av. Dona Belmira Marin, mas voltaram a bloquear a faixa logo depois. Para fugir do trânsito, alguns motoristas de carros tentavam voltar na contramão.

“Tem que ir a pé pra chegar no serviço porque a patroa não quer saber, desconta do salário da gente né?”, disse uma passageira que andava apressada. Moradores de outras ocupações acompanharam o protesto.

De acordo com os manifestantes, 1300 famílias ou mais de 4 mil pessoas moram no terreno. Eles terão que deixar o local dia 28 de setembro, data em que está marcada uma reintegração de posse.

A Secretaria de Habitação informou que as famílias precisam fazer o cadastro no programa habitacional da Prefeitura pelo site da Cohab.

Fonte: G1 São Paulo

Deixe um comentário