Entrega da estação de Suzano é adiada e fica para 15 de janeiro

83
Estação Suzano. Foto: Henrique Rodrigues

A entrega da nova estação de Suzano, da Linha 11-Coral da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), foi adiada novamente e acontecerá em duas partes. A primeira está marcada para 15 de janeiro de 2016. A obra completa deve ser entregue até dezembro do próximo ano. A operação do Expresso Leste (Luz – Estudantes) também sofrerá atraso, e tem previsão de início para o final de 2016. As informações foram divulgadas ontem pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB), pelo secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Clodoaldo Pelissioni, e pelo presidente da CPTM, Paulo Magalhães, durante entrega da Estação Ferraz de Vasconcelos.

Segundo o presidente da CPTM, a obra da Estação Suzano é muito grande o que demanda mais tempo para conclusão dos serviços. A partir de 15 de janeiro, os passageiros poderão utilizar a nova estação. “Hoje a estação opera em um espaço provisório. Fizemos estudos e vamos antecipar a entrega de parte da nova estação, pois chegamos à conclusão de que assim atenderemos melhor os usuários. A estação que está sendo construída será usada parcialmente e a entrega total acontecerá até final do ano”.

Pelissioni completa que o atraso na entrega foi ocasionado por problemas técnicos. A promessa inicial da CPTM era entregar a estação no final de 2011, uma vez que o contrato de obras foi assinado em 29 de outubro de 2010, com duração de 15 meses. No entanto, a data foi adiada para dezembro de 2012. Depois para julho de 2013. Na sequência, ela foi programada para novembro de 2014. No entanto, um mês antes, o secretário estadual de Transportes Metropolitanos adiou a entrega que ficou para março deste ano. A previsão não se cumpriu e a nova data sugeria o início da operação em agosto de 2015 e posteriormente para dezembro deste ano.

A maior mudança, porém, será a entrega do equipamento em duas etapas. A primeira em janeiro de 2016 e a segunda em dezembro do mesmo ano. Entre as justificativas dadas pela CPTM para explicar os atrasos na entrega da obra estão a demora na desapropriação de alguns imóveis, problemas técnicos, demolição da passarela, entre outros. Além disso, o valor das obras da estação aumentou R$ 50 milhões desde a contratação da empresa, no final de 2010. Inicialmente eram previstos R$ 36,9 milhões. Mas já ultrapassou os R$ 86 milhões.

* Com informações do Diário de Suzano

Deixe seu comentário