A importância da existência de ciclovias em metrópoles e centros urbanos

46
Ciclovia Ciclistas
Ciclofaixa na Avenida Jabaquara (Foto: Jacqueline Silva)

Com o aumento da população humana ano após ano e o consequente aumento de carros nas ruas, cada vez mais é comum ver cenas como engarrafamentos quilométricos, desentendimentos no trânsito e, também, acidentes de trânsito.

Contudo, de acordo também com o aumento da preocupação em relação à saúde, ao sedentarismo e em relação à densidade urbana, cada vez mais projetos para o desenvolvimento de ciclovias e práticas saudáveis têm sido idealizados.

Logo, projetos práticos e pautados em casos específicos ajudam a promover a concepção de novas ciclofaixas e aumentar a mobilidade nos centros urbanos.

Pensando nisso, hoje analisaremos juntos alguns projetos e estudos de caso voltados para a instauração de novas ciclofaixas ao redor de todo o Brasil e também em outros países.

Você pode estar se perguntando o que é um estudo de caso, exatamente. De maneira simplificada, é uma análise sobre algum caso específico que irá resultar no desenvolvimento de um projeto.

De maneira simples, o estudo de caso é a análise de casos passados para o desenvolvimento de alternativas e soluções para possíveis problemas. No caso de hoje, iremos discutir um pouco mais sobre projetos de instauração de ciclofaixas em grandes metrópoles.

Exemplo de estudos de caso na área

Ciclistas reunidos
Foto: Divulgação

Para analisarmos a relação entre os estudos de caso e o desenvolvimento de projetos que visam trazer soluções, é possível observarmos a falta de ciclofaixas e mobilidade em diferentes zonas de São Paulo.

Lembrando que, com a chegada dos vestibulares ao final do ano, o fluxo de alunos, pais e professores para outras zonas da cidade é acentuado, visto que a realização da prova é muitas vezes em um local distante da escola em questão.

Neste contexto, foi publicado estudo na Folha de São Paulo que mostra que a existência de ciclovias em determinadas regiões escancara, mais uma vez, a desigualdade em diferentes regiões da metrópole.

Esta constatação pode ser observada na existência de mais de 650 quilômetros de ciclovias em toda a cidade e na ausência de quaisquer uma destas vias em bairros carentes, como Guaianases, que fica situado na Zona Leste de São Paulo.

Logo, o estudo deste caso possibilita o surgimento de novas políticas que visam solucionar o caos urbano em zonas carentes do país e também o caos presente nas rodovias brasileiras.

Projeto de ciclovias em estradas federais

De acordo com projeto de lei publicado no Senado na manhã desta terça-feira, dia 14 de setembro de 2021, de autoria da senadora Nilda Gondim, do MDB – PB, a responsabilidade de instauração de ciclovias em rodovias federais ficaria a cargo da União, como um todo.

Este projeto, caso acatado, é essencial para o desenvolvimento de ciclofaixas em estradas com altos índices de ciclistas e também em zonas carentes, já que muitas vezes rodovias acabam se situando de maneira paralela a bairros e comunidades desfavorecidas.

Grande exemplo disso é visto nos bairros Jardim Aeroporto e Jardim Manoel Penna, em Ribeirão Preto. Ambos os bairros possuem uma rodovia próxima que, com a presença de ciclovias, poderia atender à população carente e à ciclistas que usam de rodovias.

Logo, o aumento na instauração de ciclovias, a promoção de ciclofaixas e a conscientização da importância de se praticar esportes e de preservar o meio ambiente são medidas essenciais para reverter este quadro.

Aquecimento global e o aumento no uso de bicicletas

Gelo Paisagem
Foto: Divulgação

Além da questão de desorganização e caos urbano, os automóveis representam atualmente um grande vilão no que diz respeito ao efeito estufa e ao aquecimento global descontrolado, de modo que cientistas atualmente já alertam para crises climáticas e recomendam o uso de bicicletas, patins, patinetes, skates e afins.

Este cenário faz com que inúmeros países ao longo do mundo repensem seus níveis de emissão de carbono e tomem ações que visam frear o aquecimento global.

Grande exemplo disso é a adoção de bicicletas e outros transportes sustentáveis em diversos países, como por exemplo:

  • Dinamarca
  • Holanda
  • Alemanha
  • Cingapura
  • Reino Unido

Dentre estes países, a Dinamarca é o que mais apresenta ciclistas e aposta na adoção de transportes sustentáveis. Lá, 9 a cada 10 dinamarqueses possuem uma bicicleta em casa e rodam praticamente 2 quilômetros diários sobre duas rodas.

Isso ocorre pois, na década de 1970, o país enfrentou uma severa crise econômica oriunda do petróleo, que fez com que o governo do país incentivasse o uso de bicicletas por toda a população.

Além disso, o governo do país tem como meta zerar a emissão de CO2 oriundo dos automóveis até o ano de 2025.

E aí, estes estudos de caso e projetos sociais te deixaram com vontade de comprar uma bicicleta? Não perca tempo e comece este hábito saudável para você e para o ambiente.

Deixe seu comentário