Os desafios e avanços da mobilidade urbana em São Paulo

A mobilidade urbana em São Paulo conta com novas alternativas de transporte. Veja quais são elas e os impasses que enfrentam.

280
Mobilidade urbana em São Paulo
Foto de Sérgio Souza por Pexels

A capital paulista e região é bastante conhecida por seu trânsito caótico, com quilômetros de congestionamento e transportes públicos lotados e a mobilidade urbana em São Paulo precisa ser cada vez mais pensada.

Uma pesquisa realizada pelo Ibope em 2017 apenas reforça esses dados. A população pode dar notas a diferentes aspectos do tema e, quando se trata de situação do trânsito, a nota atribuída foi de 2,7, a pior nos últimos 5 anos que antecederam o levantamento.

Outros dados também foram levantados com notas baixas como o respeito às leis de trânsito por parte dos motoristas e pedestres (3,3), transporte público (3,8) e quantidade de faixa de pedestres (4,4).

Porém, os problemas da mobilidade urbana não se resumem a isso, pois fazem com que as pessoas percam muito tempo se deslocando e interfere em outros pontos, como na qualidade de vida.

Dados dpvat 2019 eleições 2018 mortes no trânsito câmeras de monitoramento feriado prolongado rodízio
Imagem de Pexels por Pixabay

Avanços da mobilidade urbana em São Paulo

Para tentar resolver, ou pelo menos minimizar os problemas de deslocamento na cidade, surgem ideias que visam modificar a forma como as pessoas se locomovem e, muitas vezes, contribuem com o meio ambiente.

Os carros por aplicativos já são conhecidos e permitem que muitas pessoas deixem o seu carro em casa, utilizando um transporte compartilhado por um preço acessível.

Como muitos desses carros de transporte não chegam à algumas localidades por serem áreas de risco, isso fez com que surgissem transportes alternativos que atendem a apenas algumas regiões, como o que acontece com o Ubra – o Uber da Brasilândia.

Há muitas outras inovações na tecnologia que ajudam a mobilidade urbana nos grandes centros.

Dentre alguns que podemos citar, as bicicletas que funcionam como “táxis” já são realidade e permitem que as pessoas se locomovam por pequenas distâncias em um veículo não poluente.

O pedido da bicicleta táxi pode ser feito por aplicativo e os funcionários são treinados para que eles e os passageiros usem capacetes e só andam em locais seguros, por isso, a circulação é exclusiva na ciclofaixa.

Quem pretende ir de bicicleta para o trabalho ou outros locais, sem depender do táxi, pode optar pela locação de bicicletas. A mobilidade urbana em São Paulo conta com algumas empresas que oferecem a locação de veículo em postos espalhados pela cidade.

Existe a possibilidade de alugar as bicicletas por hora, diária, mês ou anualmente. Os valores e regras de utilização podem variar de uma empresa para outra.

Uma nova modalidade surgiu um pouco mais recentemente, os patinetes. Eles estão à disposição em pontos da cidade para serem alugados e levam as pessoas de um lugar a outro e uma forma mais rápida.

Entretanto, as bicicletas e patinetes alugados que são uma solução para a mobilidade urbana em São Paulo, vêm trazendo novas preocupações. Os acidentes com esses transportes aumentou e acendeu um alerta.

Para que eles possam continuar a transportar as pessoas, as empresas que fornecem o serviço, devem esclarecer aos usuários sobre situações de segurança e será preciso ter uma legislação mais clara sobre esses novos transportes que surgem a cada dia.

Se por um lado se tem um caos na mobilidade urbana em São Paulo, por outro, existem novas alternativas que podem melhorar o trânsito e contribuir com a qualidade de vida dos usuários.

Por Jeniffer Elaina, do SeguroAuto.org.

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here