Como desenvolver uma sinalização eficaz em vias urbanas

106
Vias urbanas
Publicidade

Ao considerarmos o grande potencial da comunicação visual em informar as pessoas, devemos incluir a sinalização em vias urbanas nesse processo, principalmente ao se tratar de elementos no trânsito, onde a conciliação de diferentes aspectos na sinalização com ou sem a escrita pode resultar no alcance instantâneo do receptor.

Consequentemente, resultados favoráveis em relação a segurança e organização no fluxo das vias podem ser obtidos. Para isso, alguns princípios devem ser atendidos, tais como:

  • Legalidade;
  • Padronização;
  • Confiabilidade;
  • Visibilidade;
  • Conservação;
  • Clareza.

Um dos principais subsistemas de sinalização viária recebe o nome de sinalização vertical e consiste no uso de sinais situados em placas suspensas ou na lateral das pistas. A categorização dos sinais ocorrem por meio da funcionalidade, que pode ser de advertência, indicação ou de regulamentação.

Alguns exemplos dessas aplicações são placas de proibido estacionar, trânsito exclusivo para ônibus, curva acentuada, sentido obrigatório e indicação de retorno.

Há também a sinalização horizontal, que pode atender funcionalidades como a de orientar o fluxo de pedestres, complementar a forma de sinalização anteriormente apresentada e canalizar o fluxo de veículos. Essa modalidade abrange símbolos, marcas e legendas situados em pavimentos.

Um exemplo muito comum são as marcas longitudinais amarelas, que podem ser duplas ou simples e têm como principal funcionalidade dividir os fluxos opostos de veículos, além de proibir o deslocamento lateral.

As medidas de sinalização também são cruciais para indicação de serviços auxiliares, atrativos turísticos e postos de fiscalização. Além disso, as alternativas temporárias também são significativas para atender uma orientação adequada, por exemplo, caso exista algum serviço em curso na via, como de uma empresa de perfuração em concreto, é necessária uma sinalização mais eficiente para auxiliar o motorista.

Aspectos sobre a sinalização urbana em São Paulo

Sem dúvidas, São Paulo recebe um grande destaque ao se tratar das vias urbanas, principalmente devido a frota de veículos notável.

Neste cenário, embora existam outras atitudes preventivas relacionadas com outros setores, a fluidez e a segurança são duas grandes prioridades a serem trabalhadas também por meio da sinalização adequada, como por meio de placas regulamentadoras de velocidade, que são comuns nas principais vias.

Outra forma de sinalização muito comum é a de circulação exclusiva para ônibus, que normalmente é antecedida por outras sinalizações de advertência que apontam a particularidade da área.

O mesmo se trata da placa que aponta a circulação exclusiva de bicicletas em determinada faixa ou trecho da via. Assim como em outros locais, as faixas amarelas para delimitar as pistas, faixas de pedestres e semáforos são predominantes nas vias.

Devido a grande demanda e ao fato de que com o tempo as sinalizações são acometidas por desgaste, é importante que existam projetos e programas de manutenção, principalmente para garantir a padronização e a visibilidade adequada dos elementos.

Todavia, é uma preocupação que deve existir, não apenas em relação às vias, como em outros pontos da cidade. Também é correta sinalização de outros espaços e serviços de qualidade de empresas de iluminação em São Paulo, sendo válido citar que há necessidade de que as placas também apresentem iluminação para os períodos noturnos.

A importância da padronização

Um atributo de grande destaque ao se tratar da sinalização é a comunicação direta e sintética, especialmente para que a compreensão ocorra da forma mais ágil possível, afinal, os contextos são imediatos e pontuais na mobilidade urbana. Além dessa disposição das mensagens, o que auxilia de maneira significativa é a padronização.

É interessante que os devidos cuidados sejam adotados em relação aos tipos de placas aplicados, quando se trata da sinalização de trânsito, é de grande importância que os elementos atendam as especificações legislativas, tanto no que diz respeito ao uso adequado quanto às dimensões e tonalidades. Afinal, placas personalizadas são utilizadas em casos distintos, que não estão relacionados com as vias urbanas.

A irregularidade ao envolver a comunicação visual placas pode comprometer a percepção das pessoas, por exemplo, uma placa octogonal indica a imobilização do veículo, diferentemente de opções circulares que requerem a leitura.

Além de favorecer condições de maior risco nas vias urbanas, dificulta uma correta fiscalização por meio de órgãos competentes. Dessa maneira, não apenas em São Paulo, como em qualquer local, é preciso que exista cautela na execução e manutenção de projetos desta área.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe seu comentário

comentários

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here