Construção da Estação Jardim Colonial da Linha 15-Prata é anunciada

Será a 11ª estação da linha 15-Prata de monotrilho, que liga Vila Prudente ao extremo leste da capital paulista

134
Obras da estação Jardim Colonial
Canteiro de obras da futura estação Jardim Colonial (Foto: Secretaria de Transportes Metropolitanos)

O Governo do Estado de São Paulo anunciou nesta segunda-feira, dia 27 de maio, o início das obras de construção da estação Jardim Colonial, da Linha 15-Prata de monotrilho. Será a 11ª estação da linha, que liga Vila Prudente ao extremo leste da capital paulista.

A construtora Somague Engenharia será a responsável pela realização das obras da estação, com prazo de até dois anos para a entrega. Com a conclusão da nova estação, cerca de 410 mil passageiros devem ser atendidos na Linha 15-Prata, que atualmente tem seis estações em funcionamento e mais quatro estações em obras.

Com a implantação da estação Jardim Colonial, que ficará na região do Iguatemi, a Linha 15-Prata terá seu trecho prioritário concluído, chegando a 14,6 quilômetros de extensão e 11 estações, desde a Vila Prudente, passando pelos bairros São Lucas, Sapopemba e São Mateus. A meta é concluir as obras em 2021, reduzindo o tempo de viagem da região do Iguatemi até o Centro em mais de 40%, passando de 74 para 40 minutos.

A linha já permite integração à Linha 2-Verde do Metrô e a terminais de ônibus na Estação Vila Prudente. Também será possível a conexão aos terminais de ônibus Sapopemba e São Mateus.

A Somague Engenharia começará os trabalhos com a limpeza das áreas, manejo arbóreo, montagem do canteiro e realização de terraplenagem. A estação será construída no canteiro central da Avenida Ragueb Chohfi, no entroncamento com o final da Avenida Aricanduva.

Seguindo o padrão arquitetônico das demais paradas da Linha 15-Prata, a estação Jardim Colonial ficará elevada a cerca de 20 metros do nível da rua, de forma a interferir o mínimo possível no viário.

A plataforma de embarque e desembarque será central, com portas automáticas de segurança. Um nível abaixo de onde chegam os trens do monotrilho estará a área de bloqueios, bilheterias e banheiros públicos acessíveis. Os dois acessos de passageiros serão implantados nas laterais da avenida.

Para atender a demanda estimada de 41 mil passageiros por dia, a estação terá 4.585 m² de área construída, totalmente acessível, com piso tátil, quatro elevadores e nove escadas rolantes, além de quatro escadas fixas. Também serão implantados dois bicicletários, com mais de 180 vagas.

Paralelamente a essa construção, o Metrô mantém trabalhos para a conclusão de quatro novas estações da Linha 15-Prata, que precedem a estação Jardim Colonial: Jardim Planalto, Sapopemba, Fazenda da Juta e São Mateus.

As obras, que estão com mais de 90% dos trabalhos concluídos, foram retomadas em abril deste ano, após o abandono pela empreiteira responsável pela execução, resultando na realização de uma nova licitação e contratação. A meta é concluir essas quatro estações até o final deste ano, abrindo um novo trecho operacional de 5 quilômetros.

O investimento total é de R$ 5,3 bilhões na construção de todo este trecho da Linha 15-Prata, compreendendo 15,3 quilômetros de vias (14,6 km operacionais e 0,7 quilômetros de acesso ao pátio de manutenção), instalação de sistemas e compra de trens.

Linha 15-Prata

Com tecnologia de monotrilho, a Linha 15-Prata iniciou sua operação em agosto de 2014, entre as estações Vila Prudente e Oratório, com 2,3 quilômetros de extensão. Em abril de 2018, foram entregues mais 5,5 quilômetros de trilhos, com as estações São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União.

Desde janeiro deste ano, essas estações funcionam em horário integral, das 4h40 até meia-noite, de domingo a sexta, e até 1h, na madrugada de sábado para domingo. Atualmente, a linha tem 7,8 km de extensão operacional e 6 estações atendendo aos passageiros.

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here