Viaduto da Marginal Pinheiros será liberado para veículos leves em 18 de março

Abertura da pista acontecerá dois meses antes do prazo previsto

14
obras viaduto marginal veículos
Foto: Luiz Guadanoli/Secretaria de Comunicação
Publicidade

A Prefeitura de São Paulo anunciou nesta terça-feira, dia 12 de março, que o viaduto da Marginal Pinheiros poderá ser aberto para circulação de carros leves no dia 18 de março. A reabertura para os carros ocorrerá dois meses antes do previsto.

Representantes da Prefeitura de São Paulo vistoriaram a instalação das fibras de carbono no tabuleiro, material mais resistente e durável que substitui o aço, e também acompanhou a recuperação da junta de dilatação e a troca dos aparelhos de apoio de dois pilares. O investimento nesta etapa das obras foi de R$ 19,9 milhões.

Segundo a Prefeitura de São Paulo, serão feitos alguns testes durante o período do Carnaval. “As obras de manutenção poderão ser feitas já com o viaduto sendo utilizado pela população com carros leves. Vamos fazer uma fase de testes para poder comprovar. Caso os testes confirmem essa hipótese o viaduto será liberado para carros leves a partir do dia 18 de março”, disse o prefeito Bruno Covas.

A Prefeitura de São Paulo confirmou que o edital de licitação para recuperar o restante da estrutura do viaduto será lançado na próxima semana. O valor é estimando em R$ 10 milhões.

Entre as principais intervenções estão previstas: trocas de juntas de apoio, de duas juntas de dilatação (no começo e no final da estrutura) e dos guarda-corpos, além da correção de fissuras nos pilares.

Outra novidade anunciada é que a velocidade de circulação dos trens da Linha 9-Esmeralda da CPTM volta ao normal nesta terça-feira, dia 12 de fevereiro. Os trens da Linha 9-Esmeralda estavam operando em velocidade reduzida entre as estações Villa Lobos-Jaguaré e Cidade Universitária desde o dia 19 de novembro. Esta foi uma das medidas adotadas para a preservação do viaduto.

A Prefeitura de São Paulo fez todos os esforços para manter a estrutura do viaduto, já que sua demolição e reconstrução levaria até 3 anos, ao custo de R$ 70 milhões.

obras viaduto marginal
Foto: Luiz Guadanoli/Secretaria de Comunicação

Histórico

Poucas horas após o incidente, no dia 15 de novembro de 2018, foi iniciado o escoramento de 120 dos 200 metros da parte da pista (tabuleiro) que cedeu. Todos os esforços de engenharia ficaram voltados para preservar a estrutura do viaduto.

Ao lado do pilar sobre o qual a pista cedeu, foi feito outro de apoio, com três macacos hidráulicos, para aliviar o peso do tabuleiro.

Após 15 dias foi iniciada a bem sucedida operação para que fosse reerguida a estrutura. O processo, conhecido na engenharia como macaqueamento, foi concluído uma semana antes do previsto.

Foram utilizados seis macacos hidráulicos, cada um com capacidade para erguer 300 toneladas. A instalação dos equipamentos foi feita sobre um bloco de reação apoiado em dez estacas. Trabalharam na operação 60 operários e engenheiros da JZ Engenharia, empresa contratada em caráter emergencial para as obras do viaduto; 17 engenheiros, técnicos e topógrafos da São Paulo Obras, responsável pelo gerenciamento da obra.

Quatro técnicos da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) acompanharam a operação, já que durante o macaqueamento a Linha 9-Esmeralda teve a circulação de trens interrompida, para garantir a segurança dos passageiros.

Dois meses após a estrutura ter cedido, a viga recebeu concretagem e foi concluída a reforma de dois pilares, que agora também contam com pilares de apoio.

Trânsito no entorno

Atualmente, apenas 2,9 km da pista expressa continuam totalmente bloqueados no sentido Rodovia Castelo Branco da Marginal Pinheiros, entre o Parque Villa Lobos e o acesso à Rodovia Castelo Branco, próximo ao Centro de Detenção Provisória de Pinheiros.

Além das intervenções na Marginal Pinheiros, outras ações foram tomadas pela Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes:

  • A Companhia de Engenharia de Tráfego reforçou a equipe de agentes de trânsito ao longo da Marginal Pinheiros. Na cidade há faixas de vinil e painéis móveis de mensagens variáveis orientando os motoristas sobre a interdição;
  • A SPTrans reforçou as equipes de fiscalização das faixas exclusivas de ônibus;
  • Rodízio municipal de veículos liberado na Marginal Pinheiros, sentido Rodovia Castelo Branco, entre a Avenida dos Bandeirantes e a Ponte dos Remédios. A medida favorece motoristas que já estão saindo da área de vigência do rodízio, para que não sejam autuados, caso se vejam retidos numa eventual lentidão;
  • Acordo com a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo para antecipação em três horas da abertura dos portões para os caminhões, criação de novas entradas e ampliação de cinco para 11 a quantidade de faixas de acesso de caminhões ao Entreposto; e implantação de mão-dupla de direção na Rua Xavier Kraus;
  • Reunião com taxistas que aceitaram oferecer desconto de 40% em corridas solicitadas pelo aplicativo SPTaxi que tenham origem ou destino na área afetada pela interdição. Liberação da circulação de táxis sem passageiros em três corredores exclusivos de ônibus, enquanto durarem as obras. Criação de cinco bolsões de estacionamento para embarque e desembarque de táxis em locais próximos aos trechos mais críticos e nas proximidades de estações e terminais de transporte público, para facilitar a integração entre modais;
  • Os aplicativos passaram a oferecer alternativas para auxiliar os deslocamentos da população durante o período de interdição da pista expressa da Marginal Pinheiros;
  • Manutenção da faixa exclusiva para ônibus na Marginal Pinheiros.

É importante destacar que os agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego mantêm plantão de 24 horas todos os dias da semana, para acompanhar o comportamento do trânsito e oferecer melhores condições de tráfego aos usuários da via.

Deixe seu comentário

comentários

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here