Grupo Githance é o vencedor do Hackamericas 2018

O grupo receberá US$ 10 mil para a incubação da solução apresentada no laboratório E-Lab da EMTU

29
vencedores vencedor hackamericas
Foto: Divulgação/EMTU

Uma carteira digital na qual as empresas pagam o Vale Transporte e os passageiros conseguem administrar melhor o valor com opção de escolher entre vários modais de acordo com sua necessidade no momento da utilização.

Esta é a proposta vencedora do 1º Y4PT Continental Transport Hackathon Américas 2018 (Hackamericas 2018). O evento aconteceu neste final de semana na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

A carteira será desenvolvida no modelo de Fintech, uma startup que trabalha para inovar e otimizar serviços do setor financeiro. Essas empresas possuem custos operacionais muito mais baixos que de bancos tradicionais.

O grupo Githance, formado por André Almeida, Caroline Pietrafesa, Juliana Kraus, Jullia Ferreira Nogueira de Sá e Matheus Gois, recebeu do Banco Interamericano de Desenvolvimento o prêmio de US$ 10 mil para a incubação da solução com a aceleradora Artemisia e o E-Lab, laboratório de inovação da EMTU.

Além disso, a equipe concorrerá com os vencedores das edições do Uruguai, Chile, República Dominicana e Colômbia a uma vaga para participar da 3ª Hackathon Global de Transporte – Y4PT Estocolmo 2019, na Suécia.

Os participantes foram unânimes ao destacar que o maior desafio foi propor soluções mais abrangentes para a mobilidade urbana, na qual há muitas questões a serem resolvidas. “A maior dificuldade foi que os módulos não conversam entre si: os ônibus, Bilhete Único, Cartão BOM, o Uber, 99…“, comentou o estudante desenvolvedor da área de informática, André Almeida.

Hackamericas 2018 em números

Considerado o mais relevante evento de inovação sobre transportes sustentáveis do Brasil e das Américas, o Hackamericas 2018 contou com 58 participantes que se organizaram em 14 grupos e se dedicaram por mais de 30 horas ininterruptas nessa maratona de tecnologia.

Os participantes contaram com o apoio e experiência de mais de 50 mentores, entre técnicos, especialistas e gestores de empresas de transporte público e privado, profissionais de startups e acadêmicos da Universidade Presbiteriana Mackenzie. O sócio da Shawee, Abraão Sena, destacou em diversos momentos a importância dessa troca de experiências entre mentores e participantes ao longo do evento.

Os trabalhos foram avaliados por 14 jurados, incluindo profissionais com ampla experiência em mobilidade e inovação e gestores que estão à frente das principais empresas de transporte do Estado de São Paulo. Essa foi a primeira vez que a CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e a Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo) disponibilizaram informações do Sistema de Trilhos e de rodovia dentro do conceito de Open Data.

O evento foi uma iniciativa do Youth For Public Transport Foundation, instituição vinculada à União Internacional de Transporte Público, e do Banco Interamericano de Desenvolvimento.

A realização foi da EMTU, por meio do seu laboratório de inovação, o E-Lab, Universidade Presbiteriana Mackenzie e a Scipopulis, com patrocínio do Metrô de São Paulo; apoio técnico do Núcleo de Inovação da Secretaria de Governo do Estado de São Paulo e Addax; plataforma Shawee; parceria da São Paulo Tech Week, A Vida no Centro; e apoio institucional da Sabesp, FNM Idee in Movimento, Governo de Dubai, RTA (Roads &Transport Authority), Mobilab, Secretaria de Mobilidade e Transportes da Prefeitura de São Paulo, Departamento de Operação do Sistema Viário, Companhia de Engenharia de Tráfego, Departamento de Transportes Públicos, São Paulo Transporte, Fundação Seade, Yellow, Agência de Transporte do Estado de São Paulo e CPTM.

Transmissões

Em sua página no Facebook a EMTU realizou algumas transmissões ao vivo durante o Hackamericas 2018. Confira abaixo:

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here