Providências necessárias para evitar que seu carro quebre no trânsito

228
venda de carros

Além do trânsito excessivo das cidades, um fator que colabora muito para o aumento desse problema são os carros que quebram inesperadamente. A quebra repentina do veículo, é um grande apuro para quem está enfrentando o trânsito e também para o condutor. Por mais que o dono não tenha culpa do acontecido inesperado, há maneiras de evitar que isso aconteça.

Segundo o Sindirepa (Sindicato da Indústria da Reparação de Veículos) os principais causadores das paradas repentinas dos veículos são, a pane elétrica, que é muito comum, embreagem desgastada, principalmente por mau uso, deficiência de lubrificação do motor e sistema de arrefecimento. Há outras causas, mas no geral essas são as mais comuns e principais para o problema inesperado.

A melhor forma de prevenir esses problemas, é realizar a manutenção preventiva com frequência. No entanto, a maneira que o motorista utiliza e age com o veículo no dia-a-dia, pode permitir que esses problemas sejam adiados e praticamente evitados, quando feitos junto com a revisão constante.

Problemas mais comuns que um motorista pode encontrar no trânsito

Abaixo vamos explicar sobre cada um desses problemas comuns, as principais causas, melhores formas de evitar e como resolver cada um deles. Confira!

Embreagem

Por mais que seja um grande causador das paradas inesperadas, a embreagem acaba não tendo a devida atenção do condutor. O tempo de uso no trânsito pesado e contínuo pode desgastá-la com mais rapidez. No entanto, o principal motivo do desgaste é o uso indevido da embreagem. Entre os erros mais comuns, pegar rampas e ladeiras com carro frio, não pisar até o final da embreagem para trocar as marchas e dirigir com o pé apoiado no pedal são erros que aceleram o desgaste e leva a danos na embreagem.

Sistema de arrefecimento

Esse é um problema grave e que muitas vezes só é notado pelo condutor quando o problema já se agravou.

O principal motivo do problema é o nível do líquido de arrefecimento que fica muito abaixo do permitido. A água necessária do sistema muitas vezes suja ou com excesso de cloro, junto ao uso de aditivo sem qualidade, fora dos padrões estabelecidos pela montadora, são o principal motivo para esse problema.

A melhor maneira de evitar o infortúnio é verificar sempre o reservatório do líquido de arrefecimento, água destilada misturada a um aditivo. Também será necessário que o fluido seja anti-congelante e antioxidante, com máxima qualidade.

Além disso, procurar um mecânico de confiança, pois quem não tem experiência com o assunto pode agravar ainda mais e deixar bolhas de ar no sistema, além de danificar também o motor. Caso o dispositivo tenha fundido, será necessário trocá-lo.

Pane elétrica

Um problema comum, muitos já passaram por isso, desde um fusível queimado até problema com bateria, alternador e outros.

O principal sintoma desse problema é a dificuldade para ligar o automóvel, mau funcionamento de travas, vidros elétricos, alarmes, rádios e etc.

O grande motivo da pane elétrica é a falta de manutenção de bateria e alternador, levando a sobrecarga do sistema.

A melhor maneira de evitar o problema é não instalar equipamentos eletrônicos, como câmeras de ré, vidros e travas elétricas que não são originais da montadora. Além de alarmes e demais acessórios.

Todo cuidado com esses pontos levantados acima é de extrema importância não só para quem quer evitar um grande estresse no trânsito de São Paulo, mas também para quem costuma fazer a troca/venda de carros com certa frequência ou pelo menos pretende vender o carro em breve, para que não tenha alguns desses acontecimentos negativos no histórico do carro.

Deixe seu comentário