Funcionários da CPTM devem aderir ao Dia Nacional de Paralisação

173

Diversos movimentos sindicais em todo o País irão aderir ao Dia Nacional de Paralisação, na sexta-feira, dia 28 de abril. Os funcionários da CPTM que são divididos em três sindicatos podem aderir a paralisação geral da categoria. O ato é contra as reformas da Previdência e Trabalhista estipuladas pelo governo Temer, os movimentos sindicais cresceram em todo o País desde janeiro, contra essa decisão.

Os funcionários das linhas 7-Rubi e 10-Turquesa são representados pelo Sindicato dos Ferroviários de São Paulo, os funcionários das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda são representados pelo Sindicato dos Ferroviários da Zona Sorocabana e os funcionários das linhas 11-Coral e 12-Safira são representados pelo Sindicato dos Ferroviários Central do Brasil.

Linhas 11-Coral e 12-Safira

No dia 13 de abril, os funcionários das linhas 11-Coral e 12-Safira da CPTM, representados pelo Sindicato dos Ferroviários Central do Brasil, aprovaram a adesão ao Dia Nacional de Paralisação, que será realizado no dia 28 de abril.

Uma nova assembleia foi agendada para o dia 25 de abril, às 18h30, na sede do sindicato localizado no bairro do Brás, para a organização da mobilização.

A linha 11-Coral atende o trecho entre as estações Luz e Estudantes e a linha 12-Safira atende o trecho entre as estações Brás e Calmon Viana.

cptm greve

Linhas 7-Rubi e 10-Turquesa

Os funcionários das linhas 7-Rubi e 10-Turquesa, representados pelo Sindicato dos Ferroviários de São Paulo, emitiram um comunicado na quinta-feira, dia 20 de abril, onde convocam os trabalhadores para a realização de uma assembleia no dia 25 de abril, para decidirem se irão aderir ao Dia Nacional de Paralisação, no dia 28 de abril. Caso seja decidido pela paralisação, na assembleia a categoria irá organizar a mobilização.

Confira na íntegra a nota divulgada pelo sindicato:

“O sindicato dos ferroviários de São Paulo convoca a todos os ferroviários, da CPTM, MRS e Valec, para Assembleia Geral Extraordinária a ser realizada no dia 25 de abril, terça-feira, às 19 horas, na sede central, para deliberar sobre a adesão da categoria à greve geral de 24 horas.

Venha decidir: Greve geral dia 28/04

3 motivos para cruzar os braços dia 28 de abril:
– A reforma da Previdência que prejudica todos os trabalhadores;
– A reforma trabalhista que acaba com direitos históricos;
– A terceirização que precariza o trabalho;

-Contra a proposta de reforma da Previdência;
-Contra a proposta de Reforma Trabalhista;
-Contra a Terceirização.

Compareçam! Ferroviários em Ação, em defesa dos direitos da classe trabalhadora!”

A linha 7-Rubi atende o trecho entre as estações Luz e Jundiaí e a linha 10-Turquesa atende o trecho entre as estações Brás e Rio Grande da Serra.

CPTM Greve
Foto: Divulgação/Sindicato dos Ferroviários de São Paulo

Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda

Os funcionários das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda, representados pelo Sindicato dos Ferroviários da Zona Sorocabana, vão realizar assembleia nesta terça-feira, dia 25 de abril, para definir se aderem à paralisação.

A linha 8-Diamante atende o trecho entre as estações Amador Bueno e Júlio Prestes e a linha 9-Esmeralda atende o trecho entre as estações Grajaú e Osasco.

Reforma da Previdência: entenda as principais mudanças da proposta

O texto final da proposta de emenda à Constituição da reforma da Previdência traz pontos que diminuem o projeto original do governo federal, mas também inclui mudanças que podem dificultar a aposentadoria.

As mulheres tiveram a queda da idade mínima para aposentadoria de 65 anos (igual para homens) para 62 anos, assim como os trabalhadore rurais, que tiveram seu tempo de contribuição mínimo reduzido para 15 anos, o governo federal queria 25 anos.

Mas o relatório trouxe alterações no cálculo do benefício. Quem for dar entrada na aposentadoria assim que completar 25 anos de contribuição – tendo alcançado a idade mínima – receberá 70% do valor do benefício, contra 76% pela proposta do governo federal. A cada ano em que adiar a aposentadoria, recebe acréscimo que varia de 1,5 a 2,5 pontos percentuais.

As mudanças nas regras de transição trouxeram mais dúvidas aos trabalhadores. Pela primeira proposta do governo federal, mulheres com 45 anos e homens com 50 anos na data da promulgação precisariam arcar com acréscimo de 50% sobre o tempo que ainda teriam para chegar a 30 e 35 anos de trabalho. Agora, todos os trabalhadores já inscritos no INSS ficam sujeitos à idade mínima de 53 anos (mulheres) e 55 anos (homens) – que irá aumentar a cada dois anos. Mas o pedágio a ser pago ficou menor: passou para 30%.

Consulte no portal Zero Hora maiores informações sobre a Reforma da Previdência.

Leia também

Motoristas e cobradores de ônibus da Baixada Santista decidem paralisar as atividades na sexta-feira, dia 28

Motoristas de ônibus de Mogi das Cruzes, Suzano e região devem paralisar as atividades na sexta-feira, dia 28

Nove verdades e uma mentira sobre a reforma da Previdência

Greve do Metrô: Funcionários devem paralisar as atividades no dia 28 de abril

Motoristas e cobradores de ônibus de Guarulhos podem paralisar as atividades na sexta-feira, dia 28

Redes Sociais

Siga o Mobilidade Sampa nas redes sociais:

Facebook: https://www.facebook.com/mobilidadesampa
Twitter: https://twitter.com/MobilidadeSampa
Instagram: https://www.instagram.com/mobilidadesampa

Infográfico – Reforma da Previdência

Confira o infográfico elaborado pelo jornal Folha de São Paulo:

Reforma da Previdência

Reforma da Previdência

Reforma da Previdência

Reforma da Previdência

Reforma da Previdência

Reforma da Previdência

Deixe seu comentário