Ônibus voltam a circular em São Paulo e SPTrans monitora operação em tempo real

212

Mesmo com a decisão da Justiça, que determinou que 100% da frota de ônibus operasse na manhã desta quarta-feira, dia 15, o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de São Paulo descumpriu a ordem e paralisou parcialmente o serviço durante a madrugada e início da manhã na cidade.

Apesar disso, 40% da frota operacional saiu às ruas, a maioria ônibus do subsistema local, que leva os passageiros dos bairros até os terminais. A SPTrans preparou um plano de contingenciamento operacional para minimizar o transtorno dos paulistanos com as paralisações previstas na cidade.

Durante o início da manhã, 240 linhas que normalmente são seccionadas nos terminais de ônibus passaram a ter seus trajetos estendidos até o centro da cidade. Essas linhas percorrem as principais estações da Linha 1-Azul e da Linha 3-Vermelha, atendendo, assim, os ramais Norte-Sul e Leste-Oeste. O plano só foi possível porque 4670 ônibus das empresas do subsistema local estiveram nas ruas nas primeiras horas da manhã, e foi desativado perto das 9h.

A SPTrans acompanha em tempo real a situação na cidade e poderá ajustar o plano de contingenciamento caso necessário. Desvios de linhas e itinerários poderão ser acionados em locais em que ocorrerem manifestações para garantir transporte coletivo aos usuários. Na Avenida Paulista, por exemplo, 28 linhas irão circular a partir das 14h com itinerários alternativos por conta de manifestação programada para o local. Os ônibus serão desviados, em especial, para a Alameda Santos e a Rua São Carlos do Pinhal.

Equipes da SPTrans estão nas ruas orientando os passageiros e atuando na fiscalização do serviço.

Não há, até o momento, registro de ocorrências durante a paralisação dos ônibus e manifestações pela cidade, mas, mesmo assim, a SPTrans solicitou reforço policial às autoridades de segurança pública, caso seja necessário ao longo do dia.

Deixe seu comentário