Greve do Metrô: Assembleia dos funcionários vai decidir sobre paralisação

710
Foto: Reprodução

Passageiros que utilizam o Metrô devem estar atentos para a possibilidade de paralisação dos funcionários da companhia a partir da próxima quarta-feira (01/06).

Nesta terça-feira (31/05), o Sindicato dos Metroviários realizará uma nova assembleia para decidir se os trabalhadores cruzam os braços.

A categoria pleiteia 10,82% de reajuste mais 6,59% de aumento real. O Ministério Público do Trabalho sugere que o reajuste salarial acompanhe o Índice de Preços ao Consumidor (IPC/Fipe), que está em torno de 10,3%. Já a proposta do Metrô é de 7,5% de reajuste.

Uma audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região acontecerá nesta terça para tentar um acordo entre as partes.

O sindicato também é contra as privatizações no sistema.

Os trabalhadores que podem entrar em greve atuam nas linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha, 5-Lilás e 15-Prata do Metrô.

A linha 4-Amarela do Metrô não estaria envolvida na greve por ser privada, administrada pela empresa ViaQuatro.

Em torno de 3,5 milhões de passageiros podem ser prejudicados.

CPTM

No dia (23/5) em audiência no Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, os funcionários da CPTM aceitaram a proposta de aumento salarial de 10,44% e está totalmente descartada a possibilidade de greve da CPTM neste ano.

Também estão previstos aumentos do vale-refeição, vale-alimentação, auxílio materno infantil (em março, com aplicação do IPC/Fipe), bem como a equiparação desses benefícios aos valores que venham a ser fixados aos metroviários, a partir de janeiro de 2017.

Deixe seu comentário