Obras da Linha 6-Laranja do Metrô terão dois tatuzões em operação simultânea

Primeiro shield começa a operar em setembro; nova linha será uma das maiores de São Paulo

338
Alckmin anunciou que primeiro tatuzão começa a operar em setembro na Linha 6 (Foto: Aimg/Eduardo Saraiva)

As obras da Linha 6-Laranja do Metrô, na Capital, terão dois shields, conhecidos como “tatuzões” em operação simultânea. O anúncio foi feito pelo governador Geraldo Alckmin nesta segunda-feira (15), em visita às instalações fabris da nova linha metroviária, em Perus, zona norte da Capital.

O primeiro shield começa a operar em setembro. “É um ‘mega-tatuzão’, com 10,2 metros de largura. Ele desembarcará no porto de São Sebastião em maio, chega em junho e vai para a estação São Joaquim”, explicou o governador. “Em setembro chegará o outro shield, que começará a operar no início de 2017, vindo para Brasilândia. Serão dois ‘mega-tatuzões’ simultâneos, um vindo para Brasilândia, na zona norte, e o outro vai para São Joaquim, zona sul”, afirmou Alckmin.

A Linha 6-Laranja será uma das maiores de São Paulo, ligando a região noroeste da cidade ao centro (Brasilândia – São Joaquim). Com 15 estações e 15,3 km, a nova linha vai transportar mais de 633 mil pessoas por dia.

Iniciativa do Governo do Estado de São Paulo e supervisionada pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos paulista, a Linha 6-Laranja é a primeira linha de metrô no Brasil a ser construída e operada num regime de PPP (parceria público-privada) plena, com obras em andamento desde o ano passado.

A Concessionária Move São Paulo é a empresa responsável pela construção, operação e manutenção da Linha 6-Laranja.

Governador visitou fábrica onde são produzidas aduelas, segmentos que compõem os anéis de concretos utilizados na construção do túnel na Linha 6 (Foto: A2img/Eduardo Saraiva)
Governador visitou fábrica onde são produzidas aduelas, segmentos que compõem os anéis de concretos utilizados na construção do túnel na Linha 6 (Foto: A2img/Eduardo Saraiva)
Fábrica está localizada estrategicamente em uma pedreira, em Perus, zona norte da Capital (Foto: A2img/Eduardo Saraiva)
Fábrica está localizada estrategicamente em uma pedreira, em Perus, zona norte da Capital (Foto: A2img/Eduardo Saraiva)
As aduelas compõem os anéis de concreto utilizados na construção do túnel da Linha 6, por onde os trens circularão (Foto: A2img/Eduardo Saraiva)
As aduelas compõem os anéis de concreto utilizados na construção do túnel da Linha 6, por onde os trens circularão (Foto: A2img/Eduardo Saraiva)
Alckmin conheceu o processo de produção dos segmentos de concreto na fábrica em Perus, na Capital (Foto: A2img/Eduardo Saraiva)
Alckmin conheceu o processo de produção dos segmentos de concreto na fábrica em Perus, na Capital (Foto: A2img/Eduardo Saraiva)

Deixe seu comentário