Alto índice dos acidentes de trânsito na Baixada Santista

O alto índice de acidentes durante as festividades de final de ano, na Baixada Santista, reacendeu uma antiga preocupação: a imprudência no trânsito por causa de abusos de motoristas, como imprudência, ingestão excessiva de álcool e falta de atenção em decorrência do uso do celular ao volante. O alerta deve ser redobrado quando chove.

Segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) de Santos, foram registrados sete acidentes de trânsito entre o dia 31 e ontem – quatro deles com vítimas. No total, sete pessoas se feriram.

Uma das ocorrências registradas no último sábado teria sido provocada por imprudência do condutor do veículo, hipótese que é negada por familiares do motorista.

Segundo testemunhas, ele trafegava na Avenida Conselheiro Nébias (sentido Centro-Praia), por volta das 10 horas, quando passou no sinal vermelho e colidiu com uma árvore, na altura da Rua Mato Grosso. A vítima continua internada na UTI da Santa Casa.

Pouca discussão

Para o engenheiro e especialista em Trânsito Érico Almeida, a maior parte dos acidentes é provocada pela insegurança da pessoa que tem a responsabilidade de conduzir o veículo.

Na avaliação do presidente da Associação Brasileira de Educação de Trânsito (Abetran), George Marques, o número de ocorrências ainda é elevado no País por causa da falta de fiscalização por parte de autoridades e de discussão sobre o tema.

Para exemplificar a falta de prioridades nessa área, Marques citou que 85% dos recursos do Fundo Nacional de Segurança e Educação no Trânsito (Funset) foram contingenciados pelo Governo Federal no ano passado.

De R$ 982,4 milhões, apenas R$ 150 milhões foram liberados. O restante foi destinado à chamada reserva de contingência, que é utilizada pela União com o objetivo de fechar as contas anuais no azul.

* Com informações do portal A Tribuna

Deixe um comentário