Noturno transportou mais de 1,5 milhão de passageiros em dois meses

115

Passageiro que chegava em casa às 7h por esperar o transporte público agora consegue chegar às 2h, ganhando cinco horas. Novo serviço realiza 2.663 viagens por noite, sendo 368 somente no Terminal Parque D. Pedro II, o mais movimentado da cidade.

Criado no final de fevereiro para atender a demanda de transporte público durante a madrugada em São Paulo, o serviço Noturno vem ganhando adeptos e a confiança dos paulistanos durante seus primeiros meses de operação. Neste período, completado em 30 de abril, foram transportados 1,55 milhão de passageiros.

Os passageiros estão aprovando a novidade. Para o garçom Adolfo Charría, por exemplo, o Noturno facilitou a volta para casa. Colombiano radicado no Brasil, tinha que aguardar até depois das 4h da manhã para ir a sua casa de trem. Ele que trabalha na Barra Funda, Zona Oeste, e mora no Jardim Jacira, Zona Sul. “Eu chegava em casa às sete da manhã. Agora dá para chegar às duas horas e dá para dormir e descansar para voltar ao trabalho”, afirma.

David Andrade Nascimento, autônomo, diz que utiliza os coletivos da madrugada quando quer sair para se divertir. “Antes, quando passava da meia noite, eu não saía mais e tinha que ficar onde estava. Agora dá para sair”, conta Nascimento, enquanto aguarda o início da viagem entre Pinheiros e Santo Amaro.

Passageiros crescem após criação da rede

Antes da implantação do Noturno, eram realizadas, em média, 15 mil viagens de passageiros por madrugada, quando havia 98 linhas. Esse número passou para 22,5 mil passageiros em abril, um crescimento de 50%. Aos sábados, quando há maior movimento durante a noite, o número de transportados passou de 25 mil para 36,6 mil, também em abril, crescendo 46%.

Durante todo o mês de março, primeiro de operação, foram transportados 712.765 passageiros. Em abril esse número já cresceu para 809.253, mesmo tendo um dia a menos que março e considerando que os dados desse mês estão sendo atualizados e podem crescer.

“O Noturno é mais um exemplo de que respeitamos a dinâmica da cidade, em breve implementaremos o funcionamento específico das linhas aos domingos e nos outros dias e horários, a lógica é atender de acordo com a necessidade dos passageiros”, prevê o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto.

A nova rede, pioneira no transporte noturno no Brasil, foi planejada para atender os principais locais de interesse das pessoas que se locomovem pela cidade durante esse horário, integrando terminais de ônibus e principais bairros de São Paulo, com 151 linhas operando exclusivamente entre 0h e 4h.

São Paulo avança em direção ao que é oferecido em capitais como Londres

Para se ter uma ideia do avanço que São Paulo está recebendo, Londres conta com 117 linhas de ônibus circulando durante a madrugada, ou seja, 34 a menos que na capital paulista.Nesses trajetos são transportados 42 milhões de passageiros por ano. Lá, o intervalo médio de passagem dos veículos é de 30 minutos, conforme informa o Transport For London, autoridade londrina responsável pelo transporte coletivo naquela cidade.

Noturno movimenta o principal terminal da cidade

Pontualmente à 0h uma fila com 23 veículos de cores diversas se alinham e dão a partida sincronizadamente. Pode parecer a descrição da largada de uma corrida de carros, mas é o início da operação do Noturno no Terminal Parque D. Pedro II, Centro, o mais movimentado da cidade. A cada 15 minutos, a cena se repete.

Tal sincronia somente é possível em virtude do novo modelo do serviço, que conta com 100% de sua operação controlada, o primeiro nestes moldes em todo o Brasil.

Assim, todas as viagens são organizadas pelo Centro de Controle Operacional do Noturno (CCO), que conta com 27 funcionários trabalhando exclusivamente no monitoramento das linhas durante a madrugada. É este centro que libera, por meio de uma mensagem diretamente no painel do motorista, todas as 2.663 partidas realizadas por noite, de forma que elas cumpram suas viagens no horário correto. Somente no Terminal Parque D. Pedro II, são 368, sempre com 23 coletivos saindo a cada 15 minutos.

Para que tudo corra como está previsto e o passageiro possa contar com seu ônibus no horário, 87 veículos de reserva ficam a postos nos terminais, caso precisem substituir um dos 454 ônibus do Noturno por alguma falha que o impeça de realizar sua viagem.

Também há um procedimento reserva de prontidão para a liberação dos ônibus caso haja qualquer problema com o sinal do sistema. Nesta situação, o CCO determina o início das viagens via rádio para os agentes dos terminais.

Desta forma a execução do novo sistema está dentro do previsto e o índice de cumprimento de partidas ultrapassa os 95%, atingindo o objetivo de dar confiabilidade ao sistema, uma das principais metas do projeto.

Texto: Edmur Hashitani – SPTrans

Deixe seu comentário