Geraldo Alckmin adia em mais um ano a entrega da Linha 5-Lilás do Metrô

255
Foto: A2 Fotografia/Edson Lopes Júnior

A gestão do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), informou na manhã desta segunda-feira (30) que as obras da linha 5-lilás do metrô vão atrasar mais um ano.

A obra, que ligará as estações Adolfo Pinheiros e Chácara Klabin, na linha 2-verde, teve entrega prometida para 2014, depois 2016 e, agora, 2017. “É a questão de meio ambiente, desapropriações e interferências. Nós esperamos entregar no primeiro semestre de 2017 Alto da Boa Vista, Borba Gato e Brooklin”, disse Alckmin.

O governador afirmou que seis estações dessa linha serão entregues no segundo semestre de 2017 e apenas a última, Campo Belo, ficará para 2018. De acordo com ele, 5.700 pessoas trabalham em sete lotes da construção da linha 5, que será interligada às estações Chácara Klabin, na linha 2-verde, e Santa Cruz na linha 1-azul.

O relato foi feito no local onde funcionará a futura estação AACD-Servidor, da linha 5-lilás, quando a máquina que perfura e concreta os túneis, conhecida como Tatuzão, chegou ao local. A previsão do governador é que a linha atenderá cerca de 780 mil passageiros por dia.

Na propaganda eleitoral que foi ao ar no dia 25 de agosto de 2010, Alckmin prometeu entregar mais 11 estações da Linha 5-Lilás do Metrô de São Paulo até o fim do mandato, em 2014. “Nós vamos terminar a Linha 5 de Santo Amaro até a Chácara Klabin”, garantiu. Nenhum dos dois compromissos será cumprido.

A Linha 5-Lilás ganhou apenas uma estação e faltam ainda dez para os usuários do transporte público chegarem até a Chácara Klabin.

Em outras oportunidades, Alckmin citou como motivo da demora o fato de a obra ter ficado suspensa pela Justiça por 15 meses por uma decisão judicial que apontava indícios de corrupção na escolha da construtora.

Em outubro de 2010, reportagem do jornal “Folha de S. Paulo” afirmava que conhecia os vencedores da licitação para a construção da linha antes dela ser concluída.

Deixe seu comentário