Mitigar o impacto das alterações climáticas

Quando falamos de alterações climáticas, das suas causas e dos seus efeitos, bem como da sua mitigação, o tema só pode ser encarado de um modo concertado e coordenado, em uma abordagem universal.

Foto: Andrej Lišakov/via Unsplash+

A temperatura do planeta está aumentando – um fato inegável. Muito por conta dos gases de efeito estufa, mas também pela desmatamento, pela produção industrial, pela urbanização, pela agricultura, entre muitas outras causas, que provocam as alterações climáticas.

Ainda estaremos a tempo de salvar o planeta? Esta é a grande questão que se coloca. Para o efeito das alterações climáticas é possível e as grandes economias sabem bem como fazê-lo. O problema, neste caso, está sobretudo na falta de vontade política e económica para mudar paradigmas.

Não tomar nenhuma medida ou continuar fingindo que as alterações climáticas não afetam o planeta são grandes erros. Os gases de efeito estufa, por exemplo, afetam tanto a previsão do tempo joinville como o clima na Europa.

Reduzir os efeitos de gases estufa

Os gases nocivos na atmosfera têm um impacto direto na temperatura do planeta. Este é, portanto, um dos primeiros pontos a abordar, quando falamos em mitigar o efeito das alterações climáticas. Está mais do que na hora de substituir os combustíveis fósseis pelas energias renováveis. Devemos apostar nas energias eólica, solar e hidrelétrica. O processo industrial deve assentar nas energias limpas, assim como os transportes.

Conservação florestal

Reflorestar ou conservar as florestas é outro ponto essencial. Precisamos que as árvores cumpram seu papel no ambiente e possam absorver parte dos gases libertados na atmosfera. Um ponto só possível através do reflorestamento de áreas que foram dizimadas ou da conservação de florestas.

Educação ambiental

As alterações climáticas não são um problema de outro país qualquer e não afetam apenas parte do mundo. É um tema universal, que nos afeta a todos. Devemos estar conscientes dos efeitos das alterações climáticas e ser educados para, cada um de nós, fazer a sua parte. A adoção de práticas sustentáveis, de redução de desperdício ou do uso eficiente dos recursos são medidas individuais que impactam, em última análise, todo o mundo. A mudança deve começar em cada um de nós.