Estudo aponta déficit na malha metroviária em São Paulo

Um estudo apontou déficit na malha metroviária de São Paulo. A pesquisa foi feita pelo “Mobilidade Urbana no Brasil – Marco Institucional e Propostas de Modernização” da Confederação Nacional da Industria (CNI).

O Metrô de São Paulo conta hoje com seis linhas, 91 estações e pouco mais de 104 quilômetros de vias. O estudo leva em conta as linhas 4-Amarela e 5-Lilás, que pertencem ao Metrô, porém são concedidas ao setor privado.

A malha é pequena para transportar as cerca de cinco milhões de pessoas que usam o sistema diariamente.

Segundo o estudo, é necessária a expansão em mais de 170 km para chegar em padrões de qualidade internacionais. O estuda indica ainda que o investimento para expansão da malha metroviária na capital paulista custaria cerca de R$ 90 bilhões.

Malha metroviária em expansão

São Paulo conta atualmente com quatro linhas em obras em 2023.

  • 2-Verde está sendo expandida com previsão de entrega para 2026;
  • 15-Prata, do monotrilho também passa por expansão. A meta é chegar até o Ipiranga em 2025;
  • Já a Linha-17 ouro, também do monotrilho, prometida para a copa do mundo de 2014, ainda não foi inaugurada e não tem previsão de entrega;
  • 6-Laranja, que vai ser administrada pela concessionária LinhaUni e vai ligar a zona norte ao centro, foi prometida para 2025.

Metrô responde ao estudo

O Metrô de São Paulo disse em nota para à “TV Globo”, que o passageiro conta com 370 quilômetros de transporte sobre trilhos (eles incluíram a malha da CPTM e da ViaMobilidade Linhas 8 e 9) e que ele só paga uma tarifa.

A companhia também informou que a atual gestão do governo do estado está investindo mais de R$ 25 bilhões nas obras de ampliação da malha em 19 quilômetros.