19.7 C
São Paulo
segunda-feira, maio 20, 2024

Greve do Metrô: últimas notícias

Acompanhe neste post as últimas notícias sobre a greve do Metrô nesta quinta-feira, 23 de março.

Greve do Metrô

23h25 – O Metrô informou que seguirá implementando o plano de contingência após o Sindicato dos Metroviários votar pela continuidade da greve. A justiça determinou o funcionamento de 80% dos serviços durante os horários de pico e 60% nos demais horários, mas isso não foi respeitado. A Companhia está disposta a negociar assim que a categoria retornar ao trabalho.

18h44 – O Metrô reabriu no final da tarde desta quinta-feira, trechos das linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha, devendo operar até às 20h, com pagamento de tarifa:

Linhas 4-Amarela (operada pela concessionária ViaQuatro) e 5-Lilás (operada pela concessionaria ViaMobilidade): operação normal

17h04 – São Paulo registrou o maior congestionamento de 2023 na manhã desta quinta-feira, devido à greve dos metroviários e à suspensão do rodízio de veículos. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) tem dois monitoramentos, um de 868 km de vias e outro de 20 mil km de vias. O primeiro aponta que, por volta das 9h, havia 275 km de vias congestionadas, o maior número desde o início de 2023. O segundo monitoramento aponta que, às 8h30, havia 846 km de vias congestionadas, o maior da série histórica.

16h50 – Situação das linhas:

  • Linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata operadas pelo Metrô: paralisadas
  • Linhas 4-Amarela (operada pela concessionária ViaQuatro) e 5-Lilás (operada pela concessionaria ViaMobilidade): operação normal

13h26 – O governador Tarcísio de Freitas obteve uma liminar na Justiça que proíbe a liberação gratuita das catracas do Metrô durante a greve. A companhia havia aceitado a proposta do Sindicato dos Metroviários de abrir as estações, mas depois obteve uma liminar para que os trabalhadores trabalhassem com 80% do efetivo nos horários de pico e 60% nos demais horários, com cobrança de tarifa. Em caso de descumprimento, o sindicato será multado em R$ 500 mil por dia. A previsão era que as estações fossem reabertas, mas a liminar impediu o acordo e os passageiros continuam sem acesso ao transporte.

11h39 – Situação das linhas:

  • Linhas 1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata operadas pelo Metrô: paralisadas
  • Linhas 4-Amarela (operada pela concessionária ViaQuatro) e 5-Lilás (operada pela concessionaria ViaMobilidade): operação normal

10h46 – Devido à greve, houve um aumento significativo nos preços de corridas em aplicativos de transporte como Uber e 99, devido à alta demanda. Uma viagem do Jabaquara para a Avenida Paulista custou R$ 69 às 8h30, com uma previsão de espera de 10 minutos, o que é considerado mais caro do que o normal (cerca de R$ 35).

9h22 – O Metrô de São Paulo concordou com os termos propostos pelo Sindicato dos Metroviários de liberar as catracas aos passageiros, o que deve levar ao fim da greve. No entanto, o presidente interino da empresa, Paulo Menezes Figueiredo, pediu que 100% do efetivo retorne aos postos de trabalho. A presidente do Sindicato dos Metroviários, Camila Lisboa, fez uma live nas redes sociais para comunicar a decisão do Metrô e convocar os trabalhadores a retornarem aos postos de trabalho.

7h54 – As linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda de trens metropolitanos, operadas pela concessionária ViaMobilidade, operam normalmente.

7h52 – As linhas 4-Amarela (operada pela concessionária ViaQuatro) e 5-Lilás (operada pela concessionária ViaMobilidade) operam normalmente.

7h37 – A SPTrans, responsável pelo gerenciamento dos transportes por ônibus na cidade, anunciou que estendeu duas linhas de ônibus e aumentou a frota de 13 linhas já existentes para suprir a necessidade de transporte em razão da greve dos metroviários.

7h17 – As cinco linhas da CPTM (7-Rubi, 10-Turquesa, 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade) estão funcionando normalmente. No caso de necessidade, a CPTM irá ampliar o horário de pico. As transferências para as linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha do Metrô permanecerão fechadas nas estações com conexão à CPTM. Para garantir a segurança dos passageiros, será realizado um procedimento de contenção de fluxo na entrada da Estação Corinthians-Itaquera. As transferências com as linhas 4-Amarela e 8-Diamante funcionarão normalmente nas estações Luz e Barra Funda. O serviço Expresso Linha 10 está suspenso pela manhã devido à integração com o Metrô na Estação Tamanduateí, da Linha 10-Turquesa, estar fechada.

7h11 – As estações de todas as quatro linhas operadas pelo Metrô de São Paulo (1-Azul, 2-Verde, 3-Vermelha e 15-Prata) amanheceram fechadas em razão da greve dos metroviários. Os trabalhadores paralisaram suas atividades devido a um “retrocesso nas negociações, com a negação do pagamento de abono salarial”, segundo representantes do Sindicato dos Metroviários. Membros da entidade afirmam que os trabalhadores estão há três anos sem receber as participações dos lucros. A decisão de paralisar as atividades foi tomada por maioria de votos durante assembleia realizada na noite de quarta-feira, 22 de março.

6h28 – A Polícia Militar está atuando com reforço policial nas estações de metrô, terminais rodoviários e corredores viários, durante a greve dos metroviários.

MOBILIDADE SAMPA

Siga o Mobilidade Sampa nas redes sociais e fique informado sobre a mobilidade urbana de São Paulo e Região Metropolitana:

  • Twitter
  • Instagram
  • Telegram
  • Facebook
  • YouTube
  • LinkedIn
  • Eduardo Paulino
    Eduardo Paulinohttps://eduardopaulino.com
    Paulistano, empresário, aquariano e prestativo. É apaixonado pelos temas marketing digital, mobilidade urbana, recursos humanos e empreendedorismo. É o criador dos sites de mobilidade do Grupo PLN. Quer entrar em contato com o Eduardo? Conecte com ele no LinkedIn ou envie um e-mail para eduardo@mobilidadesampa.com.br.

    ÚLTIMOS POSTS

    SIGA-NOS

    6,317SeguidoresSeguir
    28,236SeguidoresSeguir
    439InscritosInscrever
    PUBLICIDADE

    ÚLTIMOS POSTS