SPTrans quer acelerar a implantação da nova rede de ônibus

O Conselho Municipal de Trânsito e Transporte discutiu no fim de abril, sobre a nova rede de ônibus prevista para a cidade de São Paulo.

O novo modelo de linhas está previsto nos contratos assinados com as empresas de ônibus em setembro de 2019, mas a implantação foi suspensa por conta da pandemia da COVID-19.

A nova rede de ônibus vai mexer com a vida dos passageiros. Estão prevista alterações de linhas, frota de ônibus, códigos das linhas, entre outros.

O sistema previsto na nova rede foi dividido em três partes: Subsistemas estrutural, articulação e distribuição, sendo assim, todo o sistema de ônibus foi dimensionado.

A SPTrans agora pretende acelerar a implantação da nova rede de ônibus.

Na época da assinatura dos novos contratos, a SPTrans disse que a cobertura de vias atendidas aumentará dos atuais 4.800 quilômetros para 5.100, beneficiando milhares de pessoas que “passarão a caminhar menos para chegar a seus pontos de parada”. 

Em nota ao Mobilidade Sampa, a SPTrans explicou “que está sendo detalhada a primeira etapa da nova rede, contratualmente prevista para iniciar em setembro/2022. A rede de referência passou por revisão considerando as alterações que foram incorporadas à rede atual, desde a licitação em 2019.

Vale lembrar que a rede de transporte segue a dinâmica de desenvolvimento da expansão urbana na cidade de São Paulo e a atividade de planejamento e programação da rede de linhas que compõem os serviços de transporte coletivo municipal, assim como a alocação dos serviços aos lotes de operação, é realizada de forma contínua pela SPTrans.

É importante ressaltar que está, ainda, em desenvolvimento um plano estratégico de comunicação para divulgação das alterações da nova rede de ônibus”.