Transporte coletivo de Jundiaí é aprovado por 34% dos passageiros

45
Õnibus em Jundiaí
Foto: Prefeitura de Jundiaí

Uma pesquisa inédita realizada pela consultoria APPC e divulgada pela Prefeitura de Jundiaí, que avaliou a satisfação quanto ao serviço de transporte coletivo na cidade, indica aprovação de 34% dos passageiros do sistema. Somando-se os que consideram a prestação do serviço regular a aprovação sobe para 76%. O levantamento ouviu, presencialmente, 400 pessoas nos sete terminais urbanos de Jundiaí, distribuídos de acordo com o fluxo de passageiros de cada terminal.

“Mobilidade urbana é um dos principais desafios de todas as cidades do mundo. Em Jundiaí, estamos concluindo o plano municipal de mobilidade urbana com o objetivo de apontar caminhos para destravar os gargalos no trânsito da cidade com soluções de curto, médio e longo prazos, de forma a imprimir mais eficiência no sistema de transporte público e reduzir o tempo gasto pelo usuário em seus deslocamentos pela cidade”, afirma o gestor de Mobilidade e Transporte, Aloysio Queiroz. “Estamos ouvindo os usuários, pois só dessa forma, podemos corrigir os problema e aperfeiçoar o serviço de transporte no município.”

No que diz respeito ao perfil dos passageiros, segundo o levantamento, 52% usam o sistema de transporte todos os dias e 60% fazem uso de outros meios de transporte além do ônibus, como transporte por aplicativo (28%), carro próprio (26%), carros de outras pessoas (9%) e motocicletas (4%).

O levantamento mostrou também que 80% deles utilizam o transporte coletivo por necessidade e 20% por opção. Do total que usa por necessidade, 43% não tem outro veículo, 39% consideram mais econômico e 5% dizem que é exigência do trabalho; dos que usam por opção, 61% consideram mais econômico, 19% mais rápido, 3% porque colabora para diminuir a poluição e 3% porque colabora para diminuir o trânsito. Já nos quesitos ocupação e renda, 55% se declaram trabalhadores assalariados e 53% ganham até dois salários mínimos.

Passageiros com acesso à internet através do celular correspondem a 88% e, entre os mais jovens, a 96%. O acesso à internet vai ao encontro dos investimentos em tecnologia da atual gestão municipal, como o aplicativo Já Jundiaí (iOS e Android), pelo qual o passageiro pode fazer o carregamento do cartão comum de transporte ou mesmo criar uma carteira digital que permite colocar créditos e fazer suas viagens, além de programar a sua viagem e só se dirigir ao ponto próximo do momento do embarque, usando o sistema de GPS para ver a localização do ônibus (como acontece com os carros por aplicativo).

Transparência e participação

De acordo com a Prefeitura de Jundiaí, a pesquisa de opinião tem o propósito de assegurar transparência e participação dos passageiros nas ações de qualificação do transporte. A análise compõe as ações do Plano de Mobilidade Urbana e será realizada periodicamente de modo a orientar soluções para os principais entraves do transporte coletivo local.

Aloysio ressalta que as providências já tiveram início, como a incorporação de 20 ônibus com ar condicionado à frota e, dentro das mudanças propostas pelo Plano, em caráter de experiência, a implantação de uma linha de ônibus expressa entre os terminais Eloy Chaves e Central nos horários de pico, para reduzir o tempo de deslocamento, entre outras ações.

O diretor do Departamento de Transporte Público, Leslie Litano Tealdi, aponta que, “desde maio do ano passado, a Unidade de Mobilidade e Transporte tem trabalhado com uma análise mais aprofundada de dados referente às reclamações que chegam por meio dos usuários. Nós unificamos nosso centro de controle com o da empresa de ônibus que presta o serviço, o que tem permitido agilizar o atendimento e dar uma resposta mais rápida ao usuário. Dessa forma, conseguimos fazer o cruzamento de dados e ter informações precisas sobre algum possível problema, como o atraso do ônibus. O 156 tem sido um aliado importante nesse trabalho e, com essa pesquisa, temos um conjunto de dados a mais para utilizarmos para aperfeiçoar o serviço prestado à população.”

Por consequência, explica Leslie, as reclamações têm diminuído. “De agosto a novembro, com o aumento no número de passageiros, colocamos mais 16 ônibus em circulação. Nossa expectativa é colocar mais 16 no começo de fevereiro.”

A pesquisa também avaliou a qualidade dos serviços prestados, a frota, os motoristas, os terminais, as condições dos pontos de parada e a forma de pagamento das passagens.

Confira aqui a pesquisa completa.

Deixe seu comentário