Não haverá mais paralisação dos ônibus no ABC Paulista

75
Diadema Ônibus novos ABC
Foto: Marcos Luiz/Prefeitura de Diadema

Não haverá mais paralisação dos ônibus nas sete cidades do ABC Paulista a partir de domingo, dia 29 de março de 2020. A suspensão atingiria as cidades de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra, no combate à pandemia do coronavírus.

A decisão foi tomada nesta terça-feira, dia 24 de março de 2020, após uma reunião extraordinária entre prefeitos do ABC Paulista e o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy.

De acordo com o presidente do Consórcio Intermunicipal Grande ABC e prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão, será mantido o atendimento seguindo as seguintes regras:

  • Dias úteis: de 50% da frota no horário de pico (6h às 8h e 16h às 20h) e 30% no restante do dia;
  • Sábados, domingos e feriados: de 30% da frota no horário de pico (6h às 8h e 16h às 20h) e 15% no restante do dia.

Gabriel Maranhão disse que a decisão é um realinhamento com o Governo do Estado de São Paulo e que as prefeituras municipais vão monitorar o cumprimento dos percentuais pelas empresas de ônibus.

O presidente do Consórcio Intermunicipal Grande ABC ainda falou que deve haver redução na frota dos ônibus intermunicipais, mas não exatamente nos mesmos percentuais.

A demanda de passageiros dos ônibus municipais em todo o ABC Paulista caiu em média 73% nos últimos dias.

A medida de reverter a paralisação total dos ônibus se dá principalmente para garantir o transporte de pessoas que trabalham em setores essenciais, como da área da saúde e de supermercados, enrte outros.

A redução gradativa da frota dos ônibus até o dia 28 de março será mantida.

Leia abaixo na íntegra a nota oficial do Consórcio Intermunicipal Grande ABC:

“Em Assembleia Extraordinária do Consórcio Intermunicipal Grande ABC realizada por videoconferência nesta na manhã desta terça-feira, 24 de março, que reuniu os prefeitos dos sete municípios que compõem a região e com participação dos secretários estaduais de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, e de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, foi acordado o realinhamento da medida de suspensão do Transporte Coletivo Municipal no Grande ABC.

Após reavaliação e estudos técnicos tanto do Governo do Estado de São Paulo, com base nas linhas da CPTM, do Metrô, da Metra e outras linhas que interferem no sistema de transporte público municipal com o Grande ABC, e com os estudos técnicos das Secretarias de Mobilidade dos sete municípios, ficou estabelecido entre as Prefeituras e o Governo do Estado de São Paulo que, a partir da 0h de domingo, 29 de março, o Transporte Coletivo Municipal das sete cidades será realizado com frota de 50% nos horários de pico e de 30% nos demais horários.

Aos fins de semana e feriados a frota será de 30% nos horários de pico e de 15% nos demais horários. Uma decisão responsável que tem por objetivo atender as atividades essenciais e excepcionais de acordo com a demanda e peculiaridade de cada município.
A interrupção do serviço de forma gradativa até o sábado, 28 de março, será mantida, conforme decisão anterior.

A medida faz parte de um esforço regional para conter o avanço do novo coronavírus (Covid-19), que configura pandemia. A decisão do Consórcio ABC junto às Prefeituras e ao Governo do Estado de São Paulo é passível de revisão a qualquer momento, como todas as medidas no combate à pandemia.

A população nesse momento de crise deve colaborar com o poder público e sair de casa somente se for estritamente necessário. Portanto, todos devem ficar em casa para conter a pandemia do Covid-19.”

Nota Consórcio

EMTU

A EMTU informou que autorizou a redução de até 35% na oferta das viagens das concessionárias e permissionárias, nas cinco regiões gerenciadas pela empresa. Apesar da redução, a determinação é garantir o transporte às pessoas que trabalham em atividades essenciais, como segurança, saúde e as excepcionadas previstas pelo decreto de quarentena.

“Diariamente será feita uma avaliação da demanda de passageiros e, caso seja necessário, novas alterações poderão ser adotadas para preservar a integridade dos colaboradores e passageiros. Todas essas decisões têm o objetivo de preservar a saúde e a vida dos cidadãos, organizando a escala dos colaboradores, contribuindo com as medidas de precaução e recolhimento que o momento exige”, informou a EMTU.

Deixe seu comentário