Perguntas e respostas sobre a Nova Placa de Identificação Veicular

112
Nova Placa Carros
Foto: Divulgação

Termina nesta sexta-feira, dia 31 de janeiro de 2020, o prazo para que os Departamentos de Trânsito (Detrans) de todos os estados brasileiros estejam em condições de operacionalizar a nova Placa de Identificação Veicular, que corrigiu os problemas da antiga “Placa Mercosul”.

Para o motorista, as mudanças serão graduais. A placa antiga segue valendo até final de sua vida útil.

Não há a necessidade do motorista correr. O condutor só muda para a Nova Placa nos seguintes casos:

  • Primeiro emplacamento de veículos novos;
  • Dano ou furto da placa;
  • Transferência de município, para veículos que não possuem a nova placa.
Carro Nova Placa
Foto: Divulgação

Porque a placa vai mudar?

No vídeo abaixo, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, explica porque foi preciso mudar a placa.

Quais foram as correções feitas na antiga “Placa Mercosul”?

  1. Fim da obrigatoriedade da troca de placa: Ninguém vai precisar mudar a placa imediatamente. A placa cinza vale até o fim de sua vida útil.
  2. Retirada do uso de chip: Este item encarecia a placa e criava reserva de mercado.
  3. Retirada de elementos gráficos patenteados: Este item também encarecia o produto e criava reserva de mercado.
  4. Fim do monopólio do estampador: Maior oferta para gerar competição e diminuir o preço.
  5. Novo QR Code: Este item vai armazenar informações que estarão acessíveis a agentes do Estado e aos cidadãos.

A Nova Placa vai ficar mais cara?

Não vai. Conforme disse o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, no vídeo abaixo, somente com o corte das taxas de tarjeta e lacre em casos de mudança de município, que eram obrigatórias, R$ 2 bilhões serão economizados por ano.

Se ninguém precisa mudar de imediato, quando então é preciso mudar a placa?

  • No caso de primeiro emplacamento do veículo;
  • No caso de substituição em decorrência de mudança de categoria do veículo, furto, dano (por exemplo, perda do lacre);
  • No caso da mudança de município (apenas no caso da placa antiga, já a Nova Placa, não precisa mudar);
  • Quando houver a necessidade de instalação da segunda placa traseira (por exemplo, no caso de uso de reboques).

Qual a diferença da placa nova para a placa antiga?

A Nova Placa corrige a antiga “Placa Mercosul”, retira elementos que a encarecia e traz itens de segurança como o QR Code, que possibilita a rastreabilidade, dificulta a sua clonagem e falsificação. No vídeo abaixo, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, explica qual a diferença entre elas.

Vou mudar de cidade. Nesse caso, preciso trocar a placa atual para a nova versão?

Caso o motorista ainda tenha a placa antiga, com a mudança de cidade será preciso adotar a nova placa. Com ela, já não precisará alterar caso haja outra mudança.

Seu veículo foi emplacado como carro comercial de teste, oficial, diplomático ou de coleção?

Com a Nova Placa, nada muda. Os modelos atuais, identificados por cor para a distinção de categorias de veículos, podem ser mantidos até o fim da vida útil do veículo – exceto nas situações específicas, como troca de município ou dano à placa.

Na nova versão, letras pretas vão identificar os carros de passeio; vermelhas, os veículos comerciais. Já o verde será a cor das letras dos veículos de teste; o azul para os carros oficiais; dourado será para veículos diplomáticos e cinza prata para os carros de colecionadores.

Vou mudar de cidade, preciso trocar a placa do veículo?

Neste caso, se o modelo da placa do carro for a cinza, o motorista vai precisar aderir ao novo modelo.

De acordo com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, nesta situação o motorista teria esse custo de qualquer forma, e a vantagem é que o dono do carro só vai precisar fazê-lo uma única vez.

“Não vai precisar mudar nunca mais, porque não vai ter mais a informação do município, a não ser em situações como roubo, furto, dano ou extravio”, afirmou.

Se somarmos todos os custos que todos os motoristas têm com a troca de placa a cada mudança de domicílio, teremos uma economia de R$ 2 bilhões por ano”, completou.

Deixe seu comentário