Testes de carga no viaduto da Marginal Pinheiros são realizados

Objetivo é avaliar se a estrutura poderá também ser liberada para circulação de caminhões

119
foto de teste viaduto de carga
Foto: Leon Rodrigues/Secretaria de Comunicação
Publicidade

A JZ Engenharia e Comércio, responsável pela obra emergencial de recuperação do viaduto da Marginal Pinheiros, realizou neste sábado, dia 16 de março, os testes de carga para verificar se a estrutura pode ser liberada também para circulação de caminhões. A liberação do viaduto para carros e caminhões foi anunciada após os testes.

Dois tipos de testes foram feitos para avaliar o comportamento da estrutura. No teste dinâmico, uma carreta com 60 toneladas se deslocou em velocidade constante. No teste estático, 45 caminhões, cada um com 28 toneladas, ficaram parados sobre o viaduto em locais pré-determinados.

Para medir o comportamento da estrutura, foram instalados 49 sensores ao longo da pista e nos pilares que, por meio de sinal elétrico, captam a movimentação da ponte fora do padrão.

Histórico

Poucas horas após o incidente, no dia 15 de novembro de 2018, foi iniciado o escoramento de 120 dos 200 metros da parte da pista (tabuleiro) que cedeu. Todos os esforços de engenharia ficaram voltados para preservar a estrutura do viaduto.

Ao lado do pilar sobre o qual a pista cedeu, foi feito outro, de apoio, com três macacos hidráulicos, para aliviar o peso do tabuleiro.

Após 15 dias, foi realizada a bem-sucedida operação para que fosse reerguida a estrutura. O processo, conhecido na engenharia como macaqueamento, foi concluído uma semana antes do previsto.

Foram utilizados seis macacos hidráulicos, cada um com capacidade para erguer 300 toneladas. A instalação dos equipamentos foi feita sobre um bloco de reação apoiado em dez estacas.

Trabalharam na operação 60 operários e engenheiros da JZ Engenharia e Comércio, 17 engenheiros, técnicos e topógrafos da São Paulo Obras, responsável pelo gerenciamento da obra.

Para recuperar o viaduto, foram aplicadas fibras de carbono no tabuleiro (pista), material mais resistente e durável que substitui o aço; foi recuperada a junta de dilatação e substituídos os aparelhos de apoio de dois pilares. O investimento nesta etapa das obras é de R$ 19,9 milhões.

Outros R$ 6,58 milhões devem ser aplicados na execução das reformas no viaduto. Entre as principais intervenções estão previstas: trocas de juntas de apoio, de duas juntas de dilatação (no começo e no final da estrutura) e dos guarda-corpos, além da correção de fissuras nos pilares. O edital de licitação foi lançado no dia 16 de fevereiro e as propostas devem ser entregues no dia 12 de abril.

Manutenção

A Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras já vistoriou 33 pontes e viadutos. Deste total, em 16 Obras de Arte Especiais foram contratadas empresas para realizar laudos estruturais por emergência. Nas 17 pontes e viadutos restantes os laudos serão contratados por licitação pública.

Nove empresas estão realizando laudos estruturais por emergência, uma espécie de radiografia de cada uma das estruturas. Desde janeiro, quando os trabalhos foram iniciados, a Prefeitura de São Paulo interditou parcialmente a Ponte da Freguesia do Ó e a da Casa Verde, além da Ponte da Marginal Tietê que dá acesso à Rodovia Presidente Dutra, que foi totalmente interditada após a constatação do rompimento de uma viga. Todas as medidas adotadas têm o objetivo de garantir a total segurança da população.

Na Ponte da Rodovia Presidente Dutra já foi feito teste de carga para que a G2O Gerenciamento de Obras, responsável pela obra emergencial, possa avaliar se a estrutura apresenta algum problema adicional, após o rompimento da viga.

Nela também está sendo feito laudo estrutural pela Concremat Engenharia e Tecnologia. Até o dia 22 de março, será possível avaliar quais as obras a serem realizadas para recuperá-la.

A Ponte da Freguesia do Ó passará por uma obra emergencial para recuperação das vigas de sustentação. A contratação da EGT Engenharia para execução dos trabalhos foi publicada no Diário Oficial no último dia 14 de março. O projeto executivo para recuperação das vigas da Ponte da Casa Verde acaba de ser concluído.

A Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras está definindo com a Companhia de Engenharia de Tráfego os bloqueios necessários para execução das obras. Outras 40 Obras de Arte Especiais estão sendo vistoriadas para definir em quais delas há a necessidade de contratação de laudos com dispensa de licitação.

Quando a Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras concluir os laudos e obras das 73 Obras de Arte Especiais, terá atendido ao extinto Termo de Ajustamento de Conduta firmado com o Ministério Público em 2007, que vinha sendo cumprido até 2012, mas foi abandonado pela gestão anterior e retomado pela atual gestão.

A Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras, no entanto, continuará executando os trabalhos até atingir as 185 pontes e viadutos sob a responsabilidade do município, como determinou a Prefeitura de São Paulo. Importante lembrar que a Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras também está realizando um novo cadastramento de Obras de Arte Especiais.

Deixe seu comentário

comentários

Publicidade

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here