Retrem pode incentivar indústrias do setor metroferroviário no curto prazo

Financiamento demandado pelo setor contribuiria para a modernização da frota de carros de passageiros já existentes e incentivaria indústria no curto prazo. Mais de 580 carros de passageiros poderiam ser modernizados.

84
setor metroferroviário
Foto de analogicus por Pixabay

A criação do Retrem, uma linha de crédito para ampliar e modernizar a frota de carros de passageiros, com a adoção de tecnologias mais modernas, como ar condicionado e motor de corrente alternada, por exemplo, pode ser uma solução para driblar a queda da produção do setor metroferroviário ocorrida nos últimos anos e ocupar a capacidade ociosa da indústria nacional no curto prazo, acredita o presidente da Associação Brasileira da Indústria Ferroviária, Vicente Abate.

“Essa linha de financiamento permitiria o aquecimento do setor no curto prazo, pois a modernização envolve menor tempo de execução e custo reduzido para as operadoras, pois são aproveitadas a caixa de inox e a parte do truck. Confiamos em importantes projetos de fornecimento de carros de passageiros no curto prazo, como o Trem Intercidades e uma recente concorrência disputada na Argentina, porém, trabalhamos com um lead time alto, de até dois anos e a indústria nacional está com a capacidade ociosa em cerca de 80%. No ano passado, produzimos 312 unidades e a expectativa é que sejam produzidas 135 neste ano. Os resultados desses novo projetos só seriam sentidos de 2020 em diante. O Retrem, portanto, seria importante para uma retomada rápida da indústria nacional”, detalha Vicente Abate.

Segundo o executivo, com um financiamento de longo prazo e com taxas competitivas, como o previsto no Retrem, seria possível incentivar o setor.

“A modernização já foi realizada nos trens das linhas 1-Azul e 3-Vermelha do Metrô de São Paulo. As unidades novas e modernizadas são iguais e não há diferença de conforto para o usuário. A nossa expectativa é que 588 carros de passageiros poderiam ser modernizados, o que impactaria na qualidade do serviço de transporte e possibilitaria a retomada da indústria no curto prazo”.

A demanda para a criação do regime está na Secretaria de Mobilidade Urbana do Ministério de Desenvolvimento Social. O Retrem poderia envolver recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço ou do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

Na expectativa do Retrem e da implantação dos projetos, a 21ª NT Expo acontece de 19 a 21 de março, no São Paulo Expo, com a participação de mais de mais de 100 marcas.

São fornecedores especializados em bilhetagem, construção e infraestrutura, eletrificação, gerenciamento de sistemas, operadoras de cargas e passageiros, manutenção, metalurgia e usinagem, sinalização, dormentes, peças e componentes, interiores e telecomunicações.

A feira conta com expositores de mais de dez países, entre os quais países com tradição no segmento ferroviário: Estados Unidos, Suíça, Suécia, Áustria, Itália, Espanha, Canadá, China e outros.

“A 21ª NT Expo será um ponto de encontro para o setor discutir as demandas como esta do setor. A Associação Brasileira da Indústria Ferroviária apoia iniciativas como o Retrem para aquecer o setor no curto prazo. Isso significará o início de um período próspero, já que além das modernizações, há as iminentes encomendas”, declara a gerente geral do portfólio de infraestrutura da Informa Exhibitions, organizadora do evento, Márcia Gonçalves.

Segundo a executiva, a expectativa do setor é tão grande que desde dezembro passado os espaços da feira estavam 100% comercializados.

Saiba mais sobre o evento, acessando o site do NT Expo.

Serviço

Evento: NT Expo – 21ª Negócios nos Trilhos

Data: 19 a 21 de março

Horário: 13h às 21h

Local: São Paulo Expo – Rodovia dos Imigrantes – Vila Água Funda – São Paulo – SP

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here