Detalhes da nova alça de acesso a Osasco são discutidos em reunião

Após o governo estadual ter adiantado que a Agência de Transporte do Estado de São Paulo havia aprovado o projeto elaborado pela Prefeitura de Osasco visando as obras nas imediações da Avenida Maria Campos para que futuramente a cidade receba uma nova alça de ligação com a Rodovia Castelo Branco, técnicos das duas esferas de governo se reuniram na quarta-feira, dia 10 de outubro, na sede da agência, na capital paulista, para discutir detalhes das readequações a serem feitas no sistema viário.

Participaram da reunião os secretários municipais de Finanças, Pedro Sotero e de Serviços e Obras e o diretor de Investimentos da Agência de Transporte do Estado de São Paulo, Pedro Brito.

Ainda não foram definidas datas para o início das obras. No entanto, a estimativa é de que o conjunto de intervenções (alça de acesso ligando a Rodovia Castelo Branco à Avenida Maria Campos e ações no entorno da avenida) seja finalizado em 18 meses.

Segundo Pedro Sotero, a Prefeitura de Osasco já reservou no orçamento R$ 13 milhões para as intervenções que deverão ser feitas pela cidade. “Vamos trabalhar para que a parte que cabe à prefeitura fique pronta até dezembro de 2019.”

De acordo com ofício apresentado na reunião, são três as ações de responsabilidade da Prefeitura de Osasco na malha viária:

  • Implantação de terceira faixa na Rua Cipriano Tavares;
  • Criação de rota alternativa pela Rua Cônego Afonso para diminuição do fluxo na Rua Cipriano Tavares;
  • Implantação de quarta faixa na Avenida Maria Campos;

A alça de acesso, orçada em R$ 100 milhões, será construída pela concessionária ViaOeste, por meio de ajustes no contrato de concessão com o Governo do Estado de São Paulo.

O prefeito Rogério Lins disse que a nova alça de acesso a Osasco beneficiará não apenas a cidade, mas também os municípios vizinhos, como Barueri e Carapicuíba.

Deixe um comentário