Termina greve de motoristas e cobradores de ônibus no ABC

264

A greve dos motoristas e cobradores de empresas de ônibus intermunicipais nas cidades de Santo André, São Bernardo do Campo, Diadema e Mauá, na região metropolitana, terminou na manhã desta sexta-feira (9). Seis empresas de ônibus estavam paralisadas desde a manhã de quinta-feira (8). Ao todo, 30 mil usuários foram prejudicados com a greve.

Os funcionários das viações (EAOSA, Auto Viação Triângulo, Viação São Camilo, Viação Urbana, Viação Imigrantes e Viação Riacho Grande) cruzaram os braços devido à falta de pagamento do vale-refeição e salário. As empresas operam 29 linhas com cerca de 230 ônibus. Todas as empresas são do mesmo proprietário.

Os motoristas disseram que as empresas se comprometeram a fazer o pagamento dos atrasados, tanto salários quanto vale-refeição. Cinco empresas irão fazer os pagamentos nesta semana. A última a sair de greve, a EAOSA, não informou quando irá pagar.

A EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) informou que as empresas serão autuadas por não cumprirem com o serviço e poderão receber multas, cujos valores ainda não foram estipulados.

Viações

Cerca de 7 mil passageiros ainda eram afetados na manhã desta sexta-feira (9) com a paralisação de motoristas da EAOSA. A EAOSA liga a cidade de Mauá ao Terminal Sacomã, em São Paulo, e a cidade de São Caetano do Sul. Os ônibus começaram a sair da garagem por volta das 6h30.

A EAOSA estava com nove linhas paradas e 70 ônibus deixaram de circular. Os usuários usavam como alternativa as linhas municipais para chegar à linha 10-Turquesa da CPTM.

As outras cinco empresas que estavam paralisadas: Auto Viação Triângulo, Viação São Camilo, Viação Urbana, Viação Imigrantes e Viação Riacho Grande, voltaram a circular entre a noite de quinta e a madrugada desta sexta.

Dificuldades financeiras

As empresas informaram que vêm passando por sérias dificuldades financeiras desde janeiro de 2015, já que a EMTU não tem garantido o repasse de valores relativos à gratuidade para estudantes e idosos.

“Somente foi efetuado até 31/12/2015, estando hoje pendente todo o ano de 2016. Esse repasse representa a quantia de R$ 3,8 milhões, valor que deveria chegar aos cofres das empresas mensalmente. A falta desse repasse afeta toda a instabilidade econômica das empresas, inclusive fazendo com que os pagamentos salariais sejam feitos com atraso”.

A EMTU, por sua vez, disse não ter pendências financeiras com as empresas, incluindo o repasse do subsídio que garante a gratuidade para estudantes e idosos.

Licitação

Está marcada, pela Secretaria dos Transportes Metropolitanos, para o dia 19 a audiência pública para a nova concessão das linhas intermunicipais da Região Metropolitana de São Paulo, que inclui os serviços operados pela Área 5, responsável pelas linhas do Grande ABC.

* Atualização: 09h55

Deixe seu comentário