Volvo e Uber anunciam parceria para desenvolvimento de carros autônomos

O Uber e a Volvo vão investir US$ 300 milhões no desenvolvimento de carros autoguiados, em um projeto que elas descrevem como primeiro passo em uma parceria entre o aplicativo de serviços de carros e a montadora sueca de automóveis premium.

As duas companhias desenvolverão juntas um novo veículo que servirá como táxi autoguiado para o Uber e como carro completamente autônomo, com motorista, para a Volvo.

A parceria sublinha de que maneira o advento dos carros autoguiados está mudando rapidamente a indústria automobilística, forçando as startups de tecnologia e as montadoras tradicionais a decidir se colaborarão ou competirão. A decisão do Uber de escolher a Volvo como parceira de desenvolvimento é uma vitória para a montadora sueca mais conhecida por seu foco na segurança.

“Vemos o acordo como primeiro passo em uma parceria industrial de longo prazo”, disse Hakan Samuelsson, presidente-executivo da Volvo, ao Financial Times. Ele acrescentou que mapas inteligentes podem ser outra área de futura cooperação entre as duas empresas.

O Uber começará a comprar o utilitário esportivo XC90, da Volvo, este ano, e no futuro adicionará seu módulo de controle para permitir que o carro funcione sem motorista.

O esforço do Uber para desenvolver carros autoguiados começou no ano passado, quando a empresa contratou dezenas de pesquisadores do departamento de robótica da Universidade Carnegie Mellon e criou um centro de pesquisas, em Pittsburgh. Os esforços são comandados por um grupo que inclui o vice-presidente de produtos Jeff Holden, vindo da Amazon.

Um componente da pesquisa de carros autoguiados do Uber é desenvolver mapas e software de mapeamento, e a companhia está preparada para investir US$ 500 milhões em esforços de mapeamento em todo o mundo. O Uber já tem veículos de mapeamento recolhendo imagens e dados nas estradas dos Estados Unidos e México.

Nos últimos seis meses, o Uber vinha negociando com múltiplas montadoras de automóveis para escolher seu parceiro inicial no desenvolvimento de veículos autoguiados. O primeiro veículo autoguiado de teste do Uber, que vem circulando pelas ruas de Pittsburgh desde maio, é um híbrido Ford Fusion A.

Travis Kalanick, o presidente-executivo do Uber, disse que “a Volvo é líder em desenvolvimento de veículos e a melhor do setor no que tange à segurança. Ao combinar as capacidades do Uber e da Volvo chegaremos mais rápido ao futuro, juntos”.

Para as montadoras de automóveis, parcerias com as empresas de serviços de carros como o Uber e a Lyft se tornaram mais comuns, como forma de se protegerem contra um possível declínio na propriedade pessoal de carros. A Toyota e a Tata Capital, a divisão de serviços financeiros do Tata Group, da Índia, investiram no Uber, enquanto a GM investiu US$ 500 milhões na Lyft alguns meses atrás. A Volkswagen adquiriu participação acionária de US$ 300 milhões no Gett, o aplicativo israelense de serviços de carros.

Hakan Samuelsson disse que a parceria reduziria à metade os custos de desenvolvimento de tecnologia muito necessária à Volvo, e elevaria seu volume de vendas por conta dos carros vendidos ao Uber.

Ele sublinhou de que maneira a condução autônoma e o desenvolvimento dos veículos elétricos estavam remodelando a indústria automobilística. “Isso realmente mudará o negócio de uma maneira que não vimos em anos. É por isso que essa parceria é tão importante para nós”.

A complexidade da construção de carros também levou empresas de tecnologia a buscarem aproximação com as montadoras. Hakan Samuelsson acrescentou: “As empresas de tecnologia chegaram à conclusão de que não é preciso começar produzindo o carro todo. Pode-se começar por um carro já existente e desenvolvê-lo”.

Fonte: Financial Times

Tradução: Paulo Migliacci

Informações: Folha de São Paulo

Deixe um comentário