Chuva deixa São Paulo com trânsito acima da média e em estado de atenção

67
Foto: Reprodução

Mal os paulistanos se recuperam do forte temporal da última segunda-feira (16), quando duas pessoas morreram na região metropolitana, toda a cidade de São Paulo foi colocada em estado de atenção para alagamentos na manhã desta quarta-feira (18) devido à chuva.

O CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências), da Prefeitura de São Paulo, informou que todas as regiões da cidade entrou em atenção por volta das 9h10. A cidade deixou esse status às 13h, voltando ao estado de observação.

O meteorologista do Centro de Gerenciamento de Emergências, Michel Pantera, afirmou que havia uma grande área de instabilidade vinda da região de Sorocaba, interior paulista, e, por isso, o órgão colocou, de forma preventiva, toda a cidade em atenção. Porém, a chuva veio menos intensa e chove de forma moderada em vários pontos da cidade, principalmente nas zonas sul e oeste. A tendência é de chuva generalizada, porém moderada, ao longo do dia em São Paulo.

Ainda não foi registrado nenhum ponto de alagamento na cidade. Contudo, por volta das 10h, a CET (Companhia Engenharia de Tráfego) registrava 103 km de morosidade – o que representa 11,8% dos 835 km de vias monitoradas, percentual está acima do índice máximo para o horário que é de 10,78%. As piores regiões são as zonas sul e oeste com 38 km e 33 km, respectivamente.

No horário, as piores vias eram a Marginal Pinheiros: sentido Interlagos, com 10,2 km de lentidão, e sentido Rodovia Castelo Branco, com 3,4 km, e a Avenida 23 de Maio, no sentido Santana (zona norte), com 4,5 km de retenção.

TEMPORAL DE SEGUNDA

A chuva da última segunda (16) levou ao desabamento de 189 árvores na capital paulista, provocou panes nas redes elétricas e semafórica e bloqueios em ruas e calçadas afetadas pelos destroços da vegetação.

Nesta terça (17), regiões como Perdizes, Pinheiros e Sumaré ainda estavam sem energia elétrica. A Eletropaulo informou nesta quarta que nessas regiões os circuitos principais de energia já haviam sido restabelecidos e que apenas pontos isolados na cidade estavam sem energia.

Segundo técnicos do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), o forte temporal da última segunda foi provocado por um fenômeno chamado de “microexplosão”. Trata-se de rajada de vento que vem das nuvens em alta velocidade e que se espalha com força ao chegar ao solo.

O Instituto Nacional de Meteorologia diz que os ventos provavelmente superaram 100 km/h, embora os registros de estações meteorológicas, restritas a pontos específicos, tenham sido de até 77 km/h, em Barueri – ante 51,5 km no mirante de Santana (zona norte).

PREVISÃO

Para os próximos dias, o sol aparece entre nuvens apesar dos ventos úmidos que sopram do oceano causarem muita nebulosidade e chuviscos. De acordo com os meteorologistas, chove fraco nesta quinta-feira (19) e a temperatura máxima deve ficar abaixo dos 22°C.

Na sexta-feira (20), o tempo melhora e o sol aparece entre nuvens, favorecendo a gradativa elevação das temperaturas no decorrer do dia. A temperatura mínima deve ficar em torno de 15°C e, a máxima, 25°C. Há previsão de pancadas de chuva no final da tarde e começo da noite.

* Com informações do jornal Folha de São Paulo

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here