Tuneladora “Lina” conclui mais um túnel na extensão da Linha 5-Lilás

Obra do Metrô de São Paulo que vai ligar o Largo Treze até a Chácara Klabin já tem 90% dos túneis escavados

351
O governador Geraldo Alckmin acompanhou nesta sexta-feira (19) a chegada da tuneladora “Lina” ao poço de serviço Bandeirantes (Foto: Foto: A2img/Eduardo Saraiva)

“Hoje é um dia histórico para os toneleiros e para a construção da obra da Linha 5 do Metrô”, destacou o governador Geraldo Alckmin nesta sexta-feira (19) durante a chegada da tuneladora “Lina” ao poço de serviço Bandeirantes. Com o término das escavações, este será o segundo túnel de 4,9 quilômetros do prolongamento da Linha 5-Lilás do Metrô concluído entre as estações Adolfo Pinheiro (em operação desde agosto de 2014) e Campo Belo (em construção).

“É uma grande obra que vai beneficiar muito a população de São Paulo, 5.600 empregos diretos e para cada emprego direto dois a três empregos indiretos. É uma grande conquista para a cidade de São Paulo e a gente fica feliz de ver o entusiasmo daqueles que estão construindo essa grande obra”, disse Alckmin.

A tuneladora “Lina” – apelido dado em homenagem a arquiteta modernista Lina Bo Bardi – começou a escavar um dos túneis da Linha 5 em dezembro de 2013 e, ao longo de seu trajeto, passou sob as avenidas Vereador José Diniz e Santo Amaro. Já a tuneladora “Tarsila” – homenagem à Tarsila do Amaral – fez o mesmo trajeto em paralelo e concluiu as escavações em novembro de 2015.

Ao longo de dois anos, à medida que cada uma das máquinas escavava cerca de 10 metros por dia a uma profundidade média de 25 metros, simultaneamente, instalavam os anéis de revestimento de concreto, deixando os túneis preparados para a montagem dos trilhos e instalação dos sistemas de alimentação elétrica, sinalização e de telecomunicações.

Para construir os 4,9 quilômetros de cada um dos túneis foram escavados cerca de 160 mil metros cúbicos de terra e utilizados cerca de 2.800 anéis de concreto, com 22,5 toneladas cada. O túnel feito pela tuneladora Lina, corresponde à Via 1, sentido estação Capão Redondo. Já Tarsila iniciou a escavação dois meses antes e fez o túnel da Via 2, que segue rumo à Chácara Klabin.

Com roda de corte de 6,90 metros de diâmetro e 108 metros de comprimento, a supermáquina que pesa 720 toneladas conta com: câmara de compressão; motores hidráulicos; parafuso sem fim (que faz a retirada do material escavado); esteira para o transporte do solo; eretor (equipamento que faz a montagem dos anéis de concreto) e o backup com cabine de comando, painéis de controle, transformador de energia, tanque hidráulico, sanitários, refeitório e além de trailers para o movimento de materiais. Aproximadamente 112 pessoas trabalham em sua operação.

O poço Bandeirantes é o canteiro de obras onde as duas tuneladoras encerrarão suas atividades e também o local de onde partiu o Megatatuzão, que constrói o túnel até o final do prolongamento da linha. Este equipamento já passou a estação Santa Cruz e segue com destino à Chacara Klabin.

Expansão do Metrô

A expansão da Linha 5-Lilás, entre o Largo Treze e a Chácara Klabin, terá 11,5 km de extensão e 11 estações (Adolfo Pinheiro, Alto da Boa Vista, Borba Gato, Brooklin, Campo Belo, Eucaliptos, Moema, AACD-Servidor, Hospital São Paulo, Santa Cruz e Chácara Klabin). A estação Adolfo Pinheiro já foi entregue à população, e sua operação comercial teve início em agosto de 2014.

Após a conclusão das obras, a Linha 5-Lilás passará a funcionar de Capão Redondo à Chácara Klabin, com 20 km de extensão e 17 estações. A previsão de demanda diária de passageiros para a linha completa é de cerca de 781 mil.

“Esta é uma das oito obras metroferroviárias que estamos fazendo em São Paulo”, finalizou o governador.

Alckmin durante a chegada da tuneladora “Lina” ao poço de serviço Bandeirantes ( Foto: A2img/Eduardo Saraiva)
Alckmin durante a chegada da tuneladora “Lina” ao poço de serviço Bandeirantes ( Foto: A2img/Eduardo Saraiva)
Com o término das escavações, este será o segundo túnel de 4,9 quilômetros do prolongamento da Linha 5-Lilás do Metrô concluído entre as estações Adolfo Pinheiro e Campo Belo ( Foto: A2img/Eduardo Saraiva)
Com o término das escavações, este será o segundo túnel de 4,9 quilômetros do prolongamento da Linha 5-Lilás do Metrô concluído entre as estações Adolfo Pinheiro e Campo Belo ( Foto: A2img/Eduardo Saraiva)
Para construir os 4,9 quilômetros de cada um dos túneis foram escavados cerca de 160 mil metros cúbicos de terra e utilizados cerca de 2.800 anéis de concreto, com 22,5 toneladas cada ( Foto: A2img/Eduardo Saraiva)
Para construir os 4,9 quilômetros de cada um dos túneis foram escavados cerca de 160 mil metros cúbicos de terra e utilizados cerca de 2.800 anéis de concreto, com 22,5 toneladas cada ( Foto: A2img/Eduardo Saraiva)
Após a conclusão das obras, a Linha 5-Lilás passará a funcionar de Capão Redondo à Chácara Klabin, com 20 km de extensão e 17 estações ( Foto: A2img/Eduardo Saraiva)
Após a conclusão das obras, a Linha 5-Lilás passará a funcionar de Capão Redondo à Chácara Klabin, com 20 km de extensão e 17 estações ( Foto: A2img/Eduardo Saraiva)
A expansão da Linha 5-Lilás, entre o Largo Treze e a Chácara Klabin, terá 11,5 km de extensão e 11 estações ( Foto: A2img/Eduardo Saraiva)
A expansão da Linha 5-Lilás, entre o Largo Treze e a Chácara Klabin, terá 11,5 km de extensão e 11 estações ( Foto: A2img/Eduardo Saraiva)

Deixe seu comentário