Alstom inaugura primeira fábrica de VLT da América Latina em Taubaté

A Alstom inaugurou em 03 de Março, a primeira fábrica de VLTs (Veículo Leve sobre Trilhos) da América Latina em Taubaté, interior de São Paulo. Em uma cerimônia rápida estiveram presentes Henri Porpart Lafarge, Presidente Mundial da Alstom; Michel Boccaccio, Vice Presidente Sênior da Alstom Transport na América Latina; Marcos Costa, Presidente da Alstom Brasil; José Bernardo Ortiz Junior, Prefeito de Taubaté.

CERIMÔNIA

A cerimônia iniciada às 11 horas da manhã contou com discursos breves de cada um dos representantes nos quais em comum todos afirmaram o avanço e o que representa a fábrica de VLTs uma vez que é um mercado em expansão, principalmente para atender as grandes cidades em espaços urbanos. Foi dado grande destaque ao VLT do Rio de Janeiro, o de Porto Maravilha que vai passar pelas áreas do Centro do Rio, Zona Portuária e uma ligação ao Aeroporto Santos Dumont, este que pelo contrato firmado é de se construir três VLTs por mês para que antes das Olimpíadas de 2016 já entrem em operação, além do VLT de Goiânia, ambos nos quais a Alstom vai fabricar os trens na nova fábrica em Taubaté em quase sua totalidade com algumas exceções como o sistema de tração que será produzido na sede da Lapa em São Paulo e algumas peças estruturais que devem vir da Polônia.

O Prefeito de Taubaté, Ortiz Junior, em seu discurso ressaltou a importância de uma fábrica desta na cidade contribuindo para geração de novos empregos além da parceria firmada entre SENAI e a Alstom capacitando profissionais para o novo espaço, que em seu processo seletivo tem quase 6500 candidatos a 130 vagas disponíveis inicialmente, bem a mais dos 600 esperados. Em outro momento, um bem notório se dirigiu ao seu pai Sr. Bernardo Ortiz que havia trabalhado na Alstom a cerca de 50 anos atrás o citando como exemplo de pessoa e que representava um alicerce desta parceria entre a cidade de Taubaté e a Alstom que já possui uma fábrica na cidade que tem 60 anos e foi a primeira no Brasil. Também, comentou o momento de crise econômica que o Brasil passa, alta carga de impostos e outros problemas locais ao Presidente da Alstom, Henri Poupart, o agradecendo por confiar no país e em sua cidade e um possível VLT para Taubaté entre cinco e dez anos para atender os 300 mil habitantes.

Michel Boccaccio, em entrevista disse que apesar do momento de crise que o país passa a fábrica terá um papel importante neste mercado em expansão que além de Rio de Janeiro e Goiânia conta com novos projetos em outras cidades e em outros países como Equador, Bolívia, Chile. Quando questionado sobre o envolvimento da Alstom no caso do cartel de trens em São Paulo, ele disse que estão colaborando com as autoridades nas investigações e que isto é um aprendizado já que é um caso antigo e que atualmente a empresa tem um código de ética profissional totalmente reformulado.

A fábrica que recebeu um investimento de R$ 50 milhões terá a produção focada no modelo Citadis de VLT, este que já opera em 49 cidades ao redor do mundo com mais de 1.900 unidades vendidas, já tendo transportado cerca de 6 bilhões de pessoas.

“Hoje sem dúvida este (VLT) é o maior modal de transporte no Brasil, com tantos problemas de mobilidade urbana e quero agradecer a vocês por escolherem Taubaté para sediar este grande empreendimento que traz para a América Latina a solução do futuro para o transporte no país.” Disse, Ortiz Junior, prefeito de Taubaté.

“Este VLT tem um mercado não só no Brasil, mas na América Latina, a Alstom já está fornecendo o VLT em Cuenca no Equador que não é fabricado aqui pois é financiado pela França, mas o nosso objetivo é de poder atender os projetos de VLT de países da América Latina a partir do Brasil. Temos projetos em estudo na Argentina, Uruguai, Paraguai, Bolívia, Chile.”

“O mercado de transporte ferroviário na América Latina, de acordo com estudos que temos vai crescer entre 5 à 6% ao ano. Os problemas de mobilidade urbana que temos precisa ser resolvido”.

“Temos muitas cidades brasileiras analisando nossos projetos de VLT como Araraquara, Osasco, Maceió, Recife, Uberlândia, Brasília. Tem muitos projetos sendo estudados, mas agora temos que passar da parte de projeto e estudos para a realização e acho que por isto um projeto grande como o de Goiânia é tão importante, porque ele vai ser referencia de mercado em ser executado em tempo mínimo.” Disse, Michel Boccaccio, Vice Presidente Sênior da Alstom Transport na América Latina.

MODELO VLT CITADIS

O Citadis é um VLT que será construído no novo pólo em Taubaté. Confira abaixo a ficha do modelo.

7824

– transporta entre 120 a 300 passageiros;
– atinge entre 70 km/h até 100 km/h;
– diferentes medidas de largura de acordo com o pedido do cliente;
– terceiro trilho (opcional);
– cabine do condutor ergonômica e interdependente;
– acesso fácil ao nível da rua;
– 16 assentos em cada truque (carro)

VISITA 

A visita a fábrica (confira fotos abaixo) com os profissionais da imprensa foi acompanhada por um executivo da empresa, que apresentou os vários pontos do complexo que conta com 16 mil metros quadrados de área para trabalho, dando destaque a possibilidade de acondicionar 4 trens completos para testes finais. O espaço, bem organizado possibilita uma montagem em forma seqüencial partindo de um ponto da fábrica e através de um trilho no piso e com rebocador passar etapa por etapa até o fim do “corredor” onde é acoplado o carro com sistema de controle e alimentação produzido separadamente em outro setor da fábrica, mas de forma simultânea com os demais carros.

Também foi explicado o sistema de alimentação e controle dos trens que vão circular no Rio, produzidos no novo espaço, estes quais contam com um sistema de alimentação no solo instalado em cada uma das estações, pois no projeto a Prefeitura do Rio não queria um grande impacto visual optando por este sistema no qual o trem ao estacionar na estação, tem o seu carro mestre que fica no meio da composição de sete carros com uma bateria que é recarregada em 20 segundos, tempo no qual é previsto o tempo parado em cada estação e assim segue viagem até a próxima estação com esta carga adquirida na estação anterior. Ele também contará com sistema com ou sem operador, dependendo da necessidade do cliente.

O complexo ainda conta com uma fábrica de alumínio para ser utilizado no próprios trens ali fabricados e atende todas as normas de segurança e qualidade.

IMG-20150303-WA0046

Após a cerimônia de inauguração e visita destinada a imprensa, aos executivos políticos locais e executivos da Alstom e parceiros nacional e internacional, o Presidente da Alstom no Brasil fez um pronunciamento para os novos funcionários da fábrica, este porém não foi aberto para a imprensa.

Reportagem e imagens feitas por Willian Moreira.

Confira a galeria de imagens:

Deixe um comentário