Tendências que são oportunidades para a gestão de frotas em 2023

Em um país cuja frota de automóveis ultrapassa 107 milhões de unidades e onde 632 mil acidentes e 11 mil mortes no trânsito foram registradas em 2021, segundo o Registro Nacional de Acidentes e Estatísticas de Trânsito (Renaest), empregar tecnologias que auxiliam na condução e que fornecem a visibilidade de como está a direção do time no trânsito pode ajudar a melhorar essa estatística, que impacta toda a sociedade.

“O mercado de frota tem um amplo potencial para crescer. E a tecnologia é essencial nisso, para que a empresa evolua para além do uso de planilhas e WhatsApp na gestão. Ao inovar, constrói-se uma operação eficiente, conectada e com vantagens competitivas frente à concorrência”, afirma Omar Jarouche, CMO da Cobli, FleetTech que por meio de IoT, Inteligência Artificial, Big Data e Videotelemetria, ajuda operações a reduzir custos, potencializar a produtividade e cuidar da condução segura do motorista. O executivo ainda comenta cinco tendências e oportunidades para potencializar a operação de frotas em 2023. 

Videotelemetria 

A nova fronteira da gestão de frotas, a videotelemetria é composta por câmeras veiculares com inteligência artificial embarcada instaladas na cabine do automóvel. Elas identificam automaticamente e gravam situações perigosas, como direção distraída e proximidade insegura do veículo da frente. Os vídeos são enviados para uma plataforma, que avisa o gestor o momento exato que ele deve assistir e analisar, transformando dados brutos em informação útil e plano de ação, como feedbacks rápidos e treinamentos para a equipe.

Diante de possíveis comportamentos de risco, alertas sonoros são disparados em tempo real para o condutor ter uma direção mais cuidadosa e focada, evitando acidentes e infrações. Com isso, a videotelemetria consegue auxiliar na redução de custos. Além disso, também é possível usar as imagens para evitar o pagamento de despesas com incidentes nos quais a empresa não foi a responsável pela infração. 

“A tecnologia é capaz de fazer o reconhecimento facial do condutor no início da viagem e transformá-los em filtros automáticos, para saber qual motorista gerou qual evento. Assim, é possível agrupar as imagens de um mesmo motorista e nomear os grupos”, comenta o porta-voz da Cobli.

Inteligência de dados 

Uma pesquisa recente realizada pela Dell, em parceria com a Forrester, mostra que 73% das empresas do Brasil se consideram orientadas por dados. E dessas empresas, 80% afirmam que estão lidando com alguma barreira para capturar, usar e analisar os dados – muitas vezes, por dificuldade em integrar os dados que são captados e analisá-los de forma inteligente. 

“Na gestão de frotas, dados são de extrema importância na tomada de decisões para realocação de recursos, redução e eficiência de custos. Ou seja, para melhorar o que sua operação já tem. Além disso, contribui para a identificação de padrões, previsão de demanda, apontamento de falhas, gargalos e ineficiências”, destaca Omar.

O especialista destaca os tipos de dados que gestão de frota costuma olhar, como o consumo de combustível por rota, frequência de manutenções, custo da operação e modo de condução do motorista. Assim, a tecnologia possibilita coletar, acompanhar quase em tempo real e analisar com profundidade essas informações. Dessa forma, é possível saber exatamente em quais aspectos da operação mexer, para descomplicar processos, potencializar a operação e melhorar a qualidade do serviço prestado aos clientes.

Upgrade no monitoramento de frotas

Ao adotar um sistema de monitoramento de frotas, é possível receber todos os dados em tempo real e em uma única plataforma de inteligência. Ou seja, o gestor consegue acompanhar cada vez mais dados. Por exemplo, é possível designar trajetos e regiões específicas para o trabalho dos motoristas. Em caso de alteração de rota, o líder é alertado. Isso impacta em mais eficiência na operação e, consequentemente, pode reduzir custos.

Em alguns casos, também é possível acompanhar o veículo em tempo real, contando, posteriormente, com relatórios sobre velocidade, quilometragem, paradas e outras informações importantes.

Com a evolução da gestão para videotelemetria e telemetrias, é possível tomar decisões inteligentes a partir da realidade da própria operação. A tecnologia também facilita a integração com parcerias estratégicas, que colaboram na construção de um ecossistema robusto para a operação. 

Sustentabilidade

No estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), feito com executivos de 500 médias e grandes empresas industriais, duas em cada três (63%) empresas entrevistadas afirmaram que vão ampliar os investimentos em sustentabilidade nos próximos dois anos.

A busca por processos sustentáveis é tema  cada vez mais discutido na gestão de frota, principalmente no que diz respeito ao uso de veículos elétricos – que são uma maneira de buscar deslocamentos com menor impacto ao meio ambiente, já que  emitem menos poluentes do que os carros à combustão.

Tecnologias de monitoramento de frotas, como a videotelemetria e a telemetria, também colaboram com a sustentabilidade, porque possibilitam ter rotas mais eficientes, o que impacta diretamente no consumo de combustível e na redução de emissões de CO². Dados da Cobli mostram que clientes reduziram o consumo de combustível em 26% em um ano. 

Conexão 5G 

O 5G é uma evolução do 4G, porque consegue alcançar 10x mais performance, se comparado à versão anterior. O recurso permite uma internet mais rápida e maior velocidade de comunicação e transmissão de dados.

A tecnologia do 5G está começando a ser implementada agora nas principais cidades, já que tem alto custo de implementação de infraestrutura para as empresas de telecomunicações.

Na gestão de frotas, o 5G permitirá que as empresas controlem ferramentas e dispositivos de forma rápida e remota, ao oferecer uma internet mais estável, facilitando o trabalho dos colaboradores. Tecnologias para monitoramento de veículos, análise de dados, otimização de trajetos, análise do comportamento dos condutores terão uma conectividade cada vez mais eficiente.

Além disso, pode também auxiliar em problemas mais complexos das cidades inteligentes. Por exemplo, a evolução na conexão vai ajudar a planejar semáforos melhores e comunicar desvio de trânsito em caso de acidente ou enchentes.