Bicicletas: venda sofre queda de 35% em 2022 em comparação com o ano anterior

As vendas de bicicletas no Brasil tiveram uma queda de 35% no ano de 2022, em comparação com 2021, segundo dados da Aliança Bike (Associação Brasileira do Setor de Bicicletas).

As bicicletas chamadas de “entrada”, com valores de R$ 800 a R$ 2.000, foram as que apresentaram as maiores quedas, mas as vendas das bicicletas de valor elevado também sofreram uma retração.

Em 2020, as vendas de bicicleta bateram recorde no Brasil, com um crescimento de 50% em relação a 2019, e em 2021 o mercado continuou positivo, com um recuo de apenas 2% em relação ao ano anterior.

Os principais motivos apontados para a redução nas vendas são a saturação do mercado com bicicletas usadas adquiridas durante a pandemia, a queda do consumo familiar devido à crise econômica e a elevação da taxa SELIC.

Estimativas de vendas no comércio varejista de bicicletas*

  • 2018: 4 a 4,5 milhões de unidades
  • 2019: 4 a 4,5 milhões de unidades
  • 2020: 6 milhões de unidades
  • 2021: 5,8 milhões de unidades
  • 2022: 3,77 milhões de unidades

* Baseado no monitoramento da Aliança Bike com lojistas e nos dados de produção, montagem e importação de bicicletas e componentes. A estimativa contempla bicicletas novas e usadas.