Tarcísio de Freitas discute projetos ferroviários em Davos

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, em sua primeira viagem internacional como chefe do Estado mais rico do país, fez reuniões bilaterais no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, para apresentar o potencial do estado para atração de investimentos e oportunidades de parcerias com o setor privado.

Durante a reunião com o presidente do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), Ilan Goldfajn, foram debatidos projetos ferroviários e o Trem Intercidades (TIC), além de parcerias na digitalização de serviços, criação de um instrumento financeiro verde para investidores e suporte ao Desenvolve São Paulo para fomentar o empreendedorismo social.

O encontro com o CEO do Qatar Investment Authority foi considerado positivo, os investidores se mostraram interessados em conhecer melhor os ativos de São Paulo e a carteira de projetos do Estado apresentada na Suíça compõe em média R$ 70 bilhões em oportunidades de investimento.

O governo de São Paulo também teve uma conversa produtiva com a diretora-geral da OMC, Ngozi Okonjo-Iweala, que entendeu o papel de São Paulo como grande exportador de commodities agrícolas e sua relevância para a segurança alimentar do planeta. Ela discutiu com a comitiva paulista sobre a necessidade da OMC atuar para evitar barreiras nas exportações agrícolas.

Trem Intercidades

O projeto TIC Eixo Norte compreende inicialmente o eixo entre as cidades de Campinas, Jundiaí e São Paulo, sendo constituído por três eixos:

  • Serviço Linha 7, com 35,2 km, integrado ao sistema metroferroviário, ligando a estação Barra Funda a Francisco Morato, atendendo, ainda, as cidades de Caieiras e Franco da Rocha;
  • Serviço de trem intermunicipal “parador” de passageiros, com 66 km, que unirá Francisco Morato a Campinas, atendendo, ainda, as cidades de Campo Limpo Paulista, Várzea Paulista, Jundiaí e Louveira;
  • Serviço de transporte ferroviário intermunicipal de passageiros, expresso, com 101,2 km, ligando a cidade de São Paulo (estação Barra Funda) e Campinas, com parada em Jundiaí, integrado ao sistema metroferroviário.