Governo estadual libera recursos para reforma da estação Mogi das Cruzes da CPTM

O Governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, autorizou na tarde de terça-feira (05/04) a liberação de recursos para que a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) conduza e elabore o projeto de reforma da estação Mogi das Cruzes, na Linha 11-Coral. Além das obras de modernização, o local receberá uma nova passarela , que servirá como solução para a passagem em nível, para benefício dos passageiros e moradores da região.

“Hoje anunciamos mais uma obra no transporte público, que sempre foi prioridade nessa gestão do Governo. A estação Mogi das Cruzes será totalmente reconstruída e entregue com toda acessibilidade necessária para atender aos passageiros dessa região. Além disso, atendendo aos pedidos da população, a passagem em nível da rua Doutor Deodato Wertheimer não será fechada. Junto com o novo projeto da estação, teremos a construção de uma passarela para que o cidadão de Mogi tenha ainda mais segurança e um transporte com mais velocidade e regularidade”, disse o Secretário dos Transportes Metropolitanos, Paulo Galli.

O projeto de modernização tem como premissa o atendimento de todas as normas de acessibilidade, com rota tátil, sanitários acessíveis, além das melhorias nas estruturas e plataformas das atuais estações e a instalação de escadas rolantes e elevadores. Estará contemplado também neste plano de modernização a adequação e aproveitamento dos espaços na estaçãopara exploração comercial.

O mesmo modelo de projeto será adotado para as outras três estações do munícipio, Estudantes, Jundiapeba e Braz Cubas, com previsão de elaboração a partir de 2023.

“Com autorização do Governo do Estado para elaboração dos projetos, vamos avançar no plano de explorar áreas das estações para novos negócios e obter recursos com receitas acessórias”, explica Pedro Moro, presidente da CPTM.

A realização das obras das estações e a passarela será decorrente da elaboração de projetos realizados por equipe da CPTM, que também definirão as possíveis necessidades de desapropriações e liberação de áreas municipais.