MaaS: O que é Mobilidade como Serviço?

22

A indústria de transporte sempre foi um setor de crescimento e potencial ilimitados – uma indústria que está pronta para lidar com todos os tipos de mudança.

A ideia de transporte começou com nossos próprios pés e depois nas costas dos animais, como cavalos. Depois, surgiram bicicletas, barcos a vapor, trens, carros, aviões e assim por diante.

Nossa capacidade de ir de um lugar a outro tem poucas limitações e, na verdade, nossas opções só estão crescendo.

Empresas como a Tesla nos oferecem ideias excepcionais como o hyperloop e rodovias subterrâneas. Além disso, eles representam um potencial enorme para veículos totalmente elétricos e autônomos.

Tudo isso nos leva ao ponto centro, a mobilidade como serviço ou MaaS.

O que é MaaS?

O MaaS pode ser facilmente definido como a ideia de que a sociedade está se afastando dos meios de transporte próprios e se concentrando na mobilidade como um verdadeiro serviço.

Estamos familiarizados com ônibus, táxis e outras formas de transporte público, e é quase impossível imaginar a vida sem eles hoje.

Novos conceitos de transporte, como compartilhamento de passeio, ganharam popularidade rapidamente em todo o mundo.

Hoje, também estamos mais acostumados a pagar por coisas usando nossos dispositivos móveis e até mesmo cartões inteligentes. Plataformas de esportes para resultados e placares ao vivo como Oddspedia nos fornecem informações instantâneas sobre os nossos jogos favoritos.

Usamos aplicativos para planejar nossas viagens, reservar passagens, pagar por scooters públicos ou pegar horários de trem. A mobilidade como serviço incorpora várias dessas ideias, mas pode significar uma reimaginação do transporte como um todo.

Como funciona na prática a mobilidade como serviço?

Com uma plataforma de serviço de mobilidade, os usuários não pagam por viagens individuais. Em vez disso, vemos todo o transporte como uma unidade total. Todos os métodos de transporte são sob demanda, imediatamente disponíveis e pré-pagos.

Com esse conceito, os usuários simplesmente se inscreveriam em um aplicativo, escolheriam o meio de transporte e registrariam a duração do uso.

Isso parece familiar porque já estamos vendo os estágios iniciais do MaaS. Todos conhecemos o Uber, onde solicitamos nossas viagens e pagamos diretamente pelo aplicativo.

A maioria provavelmente já viu scooters e bicicletas públicas em várias cidades – todas alugadas por meio de um aplicativo e retiradas em estações de recarga.

Hoje, podemos até pagar pelo estacionamento público por meio de apps. Em cidades como Munique, na Alemanha, você pode até alugar um carro por algumas horas por meio de um aplicativo, tornando-o acessível a quase todos no país.

Para alugar um veículo, o aplicativo simplesmente envia um código para o seu telefone e ele é inserido na porta do veículo de aluguel estacionado mais próximo. A mobilidade como serviço incorpora todos esses aplicativos individuais em um sistema.

Você não precisa mais saber quais aplicativos usar e pagar separadamente, porque tudo está em uma plataforma.

Como a mobilidade como serviço mudará o panorama dos transportes

Na verdade, não é difícil imaginar um mundo onde o serviço de mobilidade é a norma. Já utilizamos vários meios de transporte centrados no consumidor hoje. Existem, no entanto, algumas mudanças das quais nos beneficiaremos. Isso inclui:

  • Planejamento de rota mais fácil;
  • Pagamentos mais simples;
  • Menos congestionamento;
  • Um impulso para a economia;
  • Mais mobilidade para quem não tem carro;
  • Poluição mais baixa;
  • Rotas otimizadas para transporte mais rápido.

O MaaS também facilita a personalização de uma experiência de transporte. Se você está tentando fazer exercícios em seu trajeto, pode adicionar uma bicicleta para uma parte do trajeto.

Se você gostaria de fazer a rota panorâmica ou de parar em um café no caminho, é fácil e conveniente fazer isso.

Liberar espaço nas ruas não significa apenas menos poluição, mas mais espaço para empreendimentos. As ruas podem se transformar em parques, shoppings ou centros comunitários.

À medida que as cidades se expandem, elas se concentram mais nas pessoas e na infraestrutura em crescimento, em vez de espalhar os negócios por grandes distâncias.

Não haverá mais a necessidade de estacionamentos grandes e emaranhados de rodovias. Claro, esse não será um futuro fácil de alcançar, mas o MaaS pode torná-lo possível.

No mínimo, as plataformas de serviços de mobilidade economizam o dinheiro dos motoristas. Só o congestionamento custa aos motoristas dos Estados Unidos US$ 305 bilhões. O MaaS será a solução? Provavelmente estaremos por perto para descobrir.

Deixe seu comentário