18 C
São Paulo
quinta-feira, abril 18, 2024

Liminar que obrigava Metrô a fornecer equipamentos de proteção individual aos funcionários é derrubada

O Tribunal Superior do Trabalho suspendeu a liminar obtida pelo Sindicato dos Metroviários de São Paulo contra o Metrô de São Paulo que obrigava a companhia a fornecer EPI (Equipamentos de Proteção Individual) aos trabalhadores. A decisão também afastava trabalhadores do grupo de risco de contágio pela Covid-19 e estipulava multa em caso de desobediência.

No entendimento da ministra Cristina Peduzzi, o pedido movido pelo Sindicato dos Metroviários não possui legitimidade por incluir representação a funcionários terceirizados, setor ao qual está fora da esfera de atuação da entidade.

Por fim, Cristina Peduzzi cita que a multa estipulada em R$ 50 mil pelo descumprimento da determinação poderia causar danos aos cofres públicos. Isso porque o Metrô, por ser uma empresa estatal, onera custos ao Governo do Estado de São Paulo. Portanto, a ministra suspendeu a multa que poderia de acordo com cálculos gerar despesas na ordem de R$ 17,3 milhões.

Em meio à essa decisão, foi publicado em Diário Oficial que o Metrô vai comprar R$ 2,2 milhões em máscaras de proteção. A compra ocorre no âmbito das medidas emergenciais para conter o avanço do coronavírus.

O Metrô informou ao Diário do Transporte que vai continuar oferecendo os equipamentos de proteção individual para os funcionários, apesar da decisão do Tribunal Superior do Trabalho.

Leia abaixo a nota na íntegra:

“O Metrô mantém sua responsabilidade de garantir a segurança de todos os seus funcionários e passageiros e vai continuar fornecendo todos os insumos necessários para o trabalho adequado, seguindo as diretrizes da Organização Mundial da Saúde. Esse compromisso não será alterado pela medida judicial que cassou a liminar que implicava em custos elevados, que poderiam prejudicar a operação da empresa e que não tem qualquer relação com a compra de novas máscaras para seus funcionários.”

O Sindicato dos Metroviários informou que a presidente do Tribunal Superior do Trabalho “condenou os metroviários à morte” com a decisão.

Leia abaixo a nota na íntegra:

Nota Sindicato Metroviários

MOBILIDADE SAMPA

Siga o Mobilidade Sampa nas redes sociais e fique informado sobre a mobilidade urbana de São Paulo e Região Metropolitana:

  • Twitter
  • Instagram
  • Telegram
  • Facebook
  • YouTube
  • LinkedIn
  • Eduardo Paulino
    Eduardo Paulinohttps://eduardopaulino.com
    Paulistano, empresário, aquariano e prestativo. É apaixonado pelos temas marketing digital, mobilidade urbana, recursos humanos e empreendedorismo. É o criador dos sites de mobilidade do Grupo PLN. Quer entrar em contato com o Eduardo? Conecte com ele no LinkedIn ou envie um e-mail para eduardo@mobilidadesampa.com.br.

    ÚLTIMOS POSTS

    SIGA-NOS

    6,317SeguidoresSeguir
    28,236SeguidoresSeguir
    439InscritosInscrever
    PUBLICIDADE

    ÚLTIMOS POSTS