Metrô e CPTM divulgam balanço anual das Centrais de Achados e Perdidos

54
achados e perdidos metrô cptm
Imagem ilustrativa

O Metrô e a CPTM divulgaram nesta semana o balanço anual de 2018 de suas Centrais de Achados e Perdidos. Na CPTM, a Central fica localizada na Estação Palmeiras-Barra Funda, que atende as linhas 7-Rubi e 8-Diamante, já no Metrô, a Central fica localizada na Estação Sé, que atende as linhas 1-Azul e 3-Vermelha. Acompanhe abaixo.

ACHADOS E PERDIDOS DO METRÔ

O balanço anual da Central de Achados e Perdidos do Metrô registrou em 2018 um novo recorde de objetos deixados no sistema.

De janeiro a dezembro do ano passado, 91.367 itens foram cadastrados pelos funcionários, média de 7,5 mil novos objetos todo mês. Em 2017, haviam sido catalogados 82.512 objetos e em 2016 foram 79.842 registros.

O maior percentual de tudo que foi esquecido nas estações do Metrô em 2018 continua sendo o de documentos (62%). Já o restante (38%) é de objetos dos mais variados tipos, tamanhos e utilidades, entre eles:

  • Artigos de papelaria
  • Carteiras
  • Peças de vestuários
  • Óculos
  • Relógios
  • Aparelhos de celular
  • Instrumentos sonoros
  • Brinquedos
  • Alianças
  • Chaves

As dez estações com maior número de objetos e documentos perdidos no ano passado foram:

  • Palmeiras-Barra Funda
  • Jabaquara
  • Corinthians-Itaquera
  • República
  • São Bento
  • Ana Rosa
  • Tucuruvi
  • Trianon-Masp
  • Paraíso

O Posto de Atendimento da Central de Achados e Perdidos funciona na Estação Sé, de segunda a sexta-feira, exceto feriados, das 7h às 20h.

Todos os objetos recolhidos nas estações das linhas 1, 2, 3 e 15, operadas pelo Metrô, e da Linha 4-Amarela, operada pela concessionária ViaQuatro, são encaminhados para a Estação Sé e permanecem no local para devolução por 60 dias. Na Linha 5-Lilás, operada pela concessionária ViaMobilidade, os objetos recolhidos são encaminhados para a Estação Adolfo Pinheiro.

As consultas de documentos e objetos identificados também podem ser realizadas por meio da Central de Informações do Metrô, pelo telefone 0800 770 7722, todos os dias, das 5h às meia-noite, ou ainda pelo site do Metrô.

Em 2018, foram quase 122 mil consultas ao Sistema de Achados e Perdidos do Metrô, média de 333 consultas por dia. Só no guichê do posto de atendimento pessoal da Estação Sé foram realizados mais de 32 mil atendimentos ao longo do ano.

Mais de 21 mil pertences foram devolvidos a seus donos, o que representa cerca de 23,2% de tudo que foi recebido. Em 2017, foram devolvidos aproximadamente 19 mil itens, ou seja, cerca de 22,5% do total recolhido.

Após 60 dias sob cuidados da Central de Achados e Perdidos, os objetos em bom estado e os valores não devolvidos são encaminhados ao Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo. Já os documentos são destinados aos respectivos órgãos emissores.

Para evitar a perda de objetos e documentos, o Metrô recomenda aos passageiros que fiquem atentos aos itens que estão sendo transportados e observem seus pertences antes do desembarque.

É importante também que os objetos tenham sempre algum tipo de identificação, o que facilitará a localização do proprietário e sua devolução pela Central de Achados e Perdidos.

ACHADOS E PERDIDOS DA CPTM

A CPTM destaca que diariamente chegam à Central de Achados e Perdidos da CPTM, localizada na Estação Palmeiras-Barra Funda, inúmeros objetos esquecidos nas estações e no interior dos trens.

Dentre diversos itens estão alguns que despertam curiosidade: par de muletas, manequim, próteses dentárias, cavaquinho, barraca de camping e drone. O guarda-chuvas é um dos campeões de esquecimento pelos passageiros.

Em 2017, foram achados quase 78 mil itens nas seis linhas. No passado, esse número aumentou em mais 10 mil, totalizando 88.611 objetos esquecidos nas sete linhas da CPTM.

A Estação Brás é a mais movimentada e ostenta o primeiro lugar no ranking de objetos esquecidos: mais de 8 mil itens. Já a Estação Palmeiras-Barra Funda ficou em 2º lugar, com cerca de 7 mil itens.

Quando a contabilidade é por linhas, em 2018, a campeã foi a Linha 12-Safira, com 18.508 itens perdidos. A vice liderança se manteve com a Linha 8-Diamante, que registrou 17.349 itens. Já a Linha 9-Esmeralda caiu do primeiro lugar no pódio, em 2017, para terceiro, com 16.702 itens.

A Linha 11-Coral, a mais movimentada, continua em 4º lugar no ranking, com 14.560 itens. A Linha 10-Turquesa subiu do sexto para o quinto lugar, com 12.997 itens, e a Linha 7-Rubi caiu da quinta para a sexta posição, com 7.333 itens. A Linha 13-Jade, inaugurada no final de março de 2018, está ocupando o sétimo lugar neste ranking, com 1.162 itens esquecidos.

Do total de objetos encontrados nas dependências da CPTM, a média de devolução gira entorno de 40%. O trabalho intenso dos funcionários da Central de Achados e Perdidos é fundamental para isso, já que 70% das devoluções são feitas devido a investigação minuciosa e contato ativo feito pelos empregados da central. Apenas 30% das devoluções ocorrem por iniciativa do proprietário.

Eliete Cury, chefe do Serviço de Atendimento ao Passageiro da CPTM, conta que quando os itens chegam à central, passam por uma triagem, onde são separados objetos, valores e documentos que podem indicar formas de contato com o proprietário, seja por telefone, e-mail ou carta, já que a devolução dos pertences aos proprietários é o foco da Central de Achados e Perdidos. Depois, são cadastrados e guardados.

Todos os objetos entregues na central ficam armazenados por até 60 dias. É neste tempo que os empregados atuam para achar o dono e, quando estes não são localizados, os itens são encaminhados para o Fundo Social de Solidariedade do Estado de São Paulo, entidade social mantida pelo Governo do Estado.

A instituição já foi beneficiada com roupas e brinquedos entre outros. No caso dos documentos, a maioria é devolvida aos órgãos expedidores, e os cartões de banco são destruídos.

O passageiro que perder algum objeto e acha que pode ter sido nas dependências da CPTM, pode procurar a Central de Achados e Perdidos, que funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, exceto feriados, na Estação Palmeiras-Barra Funda. O contato também pode ser feito pelo telefone 0800-055-0121 ou pelo e-mail usuario@cptm.sp.gov.br.

Confira as estações campeãs de “esquecimentos”, em 2018, e o ranking de objetos perdidos por linha, entre 2016 e 2018:

Ranking das estações em 2018

Ranking das Estações 2018

Ranking das linhas em 2018

ranking linhas 2018

Ranking das linhas em 2017

ranking linhas 2017

Ranking das linhas em 2016

ranking 2016

CPTM

Acompanhe as últimas notícias sobre a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, acessando a seção CPTM.

METRÔ SP

Acompanhe as últimas notícias sobre o Metrô de São Paulo, acessando a seção Metrô SP.

MOBILIDADE SAMPA

Quer ficar informado sobre tudo o que acontece na mobilidade urbana de São Paulo e Região Metropolitana?

Então curta nossa página no Facebook.

Siga o @mobilidadesampa no Twitter.

Use a hashtag #mobilidadesampa no Instagram.

Fique tranquilo. Não enviamos spam, a sua privacidade será respeitada e você poderá sair facilmente quando desejar.

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here