Mortes por atropelamento avançam 46% na capital paulista

57
Veículos trafegam na Marginal Tietê, em São Paulo (Foto: Werther Santana/Estadão Conteúdo)

As mortes por atropelamento tiveram aumento de 46% na capital paulista no mês de fevereiro, na comparação com o mesmo mês de 2016. Os dados são do Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga), apurados com base nos registros de boletins de ocorrência da Polícia Militar. Foram 26 ocorrências em fevereiro de 2016 e 38 ocorrências em fevereiro deste ano.

O mapa que identifica as mortes de pedestres na cidade, mostra que as ocorrências foram distribuídas pela cidade, com sete casos registrados no centro expandido. As marginais Pinheiros e Tietê não tiveram registro de mortes de pedestres.

A Prefeitura de São Paulo divulgou aumento no número de agentes de trânsito nas marginais Pinheiros e Tietê, que foram deslocados de outras áreas da cidade.

As mortes na capital paulista trouxeram um aumento desse tipo de óbito no Estado de São Paulo como um todo, que teve alta de 40% nos atropelamentos – de 107 casos em fevereiro de 2016 para 150 em fevereiro deste ano.

Mortes

Segundo dados do Infosiga, o número de mortes no trânsito em 2016 caiu 15% na comparação com o ano anterior. Em janeiro de 2017, comparando com o mesmo mês de 2016, a queda foi de 26%. No mês de fevereiro houve uma diminuição de 3,9% nos acidentes fatais.

Ao todo, no mês de fevereiro, 74 pessoas morreram em acidentes de trânsito na cidade, no mesmo período de 2016 foram 77 pessoas. A média nos dois períodos foi de 2,6 casos por dia.

Já o número de mortes no Estado de São Paulo ficou estável, com 415 registros em fevereiro de 2017 e 414 em fevereiro de 2016. A média de 2016 foi de 440 mortes por mês e fevereiro havia sido, no ano passado, o mês com o menor índice de ocorrências.

Na capital paulista, o número de mortes de motociclistas teve pequena baixa: de 25 casos em fevereiro de 2016 para 21 em fevereiro deste ano, uma redição de 16%.

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here