Motoristas de ônibus das viações Ribeirão Pires e EAOSA seguem em greve

146
Foto: Reprodução/Rádio Band News FM

Duas empresas de ônibus da região de Mauá, no ABC paulista, permanecem em greve na manhã desta sexta-feira (18). A paralisação nas viações EAOSA e a Ribeirão Pires completa uma semana e teve início na última sexta-feira (11). Os motoristas protestam contra a falta de pagamento do último salário. As empresas operam 14 linhas com uma frota de cerca de 100 ônibus.

Essas empresas atendem os moradores de São Caetano do Sul, Santo André, Mauá e Ribeirão Pires. 20 mil passageiros são prejudicados.

Segundo a EMTU, os funcionários das duas empresas farão uma reunião por volta das 10h desta sexta (18) para definir os rumos da greve.

Três outras empresas da região que também estavam paralisadas retomaram a operação das linhas na tarde de quarta-feira (16). Funcionários das viações Riacho Grande, Imigrantes e Triângulo, que também estavam em greve, voltaram ao trabalho depois que os salários reivindicados foram depositados.

Como alternativa, os usuários podem utilizar as linhas municipais, trens da linha 10-Turquesa da CPTM e linhas metropolitanas da empresa Rigras, que cruzam o município de Ribeirão Pires. São elas: 041, 117, 165, 165EX1, 165BI1, 215, 336, 215BI1, 374, 381, 381BI1 e 402.

A EMTU informa que autuará as empresas paralisadas por cada partida não realizada.

Essas paralisações nas empresas que pertencem ao empresário Baltazar José de Sousa são recorrentes. Outros protestos ocorreram também nos últimos quatro meses e também por causa do atraso dos pagamentos.

Mauá

Na tarde desta quinta-feira (17) os motoristas e cobradores das viações EAOSA e Ribeirão Pires fecharam parte do Terminal Central em Mauá. O protesto afetou as linhas municipais da empresa Suzantur, os ônibus foram impedidos de sair e entrar do terminal. No final da tarde a circulação dos ônibus da Suzantur foi normalizada.

* Atualizado em 18/11 às 10h15

Deixe seu comentário