Orçamento da Prefeitura para 2017 reserva verba para subsídio e prevê aumento de tarifa de ônibus

O projeto de lei do Orçamento da Prefeitura de São Paulo para 2017 prevê os mesmos valores para subsídios de ônibus destinados pela administração municipal neste ano. Se os valores não forem reajustados ao longo de 2017, haverá necessidade de aumento da tarifa, que hoje custa R$ 3,80.

As tabelas enviadas pela gestão Fernando Haddad à Câmara Municipal de São Paulo nesta sexta-feira (30/9) estimaram em R$ 1,7 bilhão o valor reservado para as “compensações tarifárias do sistema de transportes” – nome técnico para o subsídio das tarifas. Neste ano, o valor já foi estourado e foi preciso fazer rearranjos orçamentários para manter a frota de ônibus circulando até dezembro. Os empresários do setor afirmam que, terminado 2016, a Prefeitura de São Paulo terá desembolsado R$ 2 bilhões com essa atividade.

A Secretaria Municipal de Transportes vinha argumentando que a nova licitação da rede, prevista para o ano que vem, seria capaz de reduzir custos e, assim, diminuir também a necessidade dos subsídios. A licitação previa reorganização de linhas e redução na taxa de retorno (lucro) das empresas.

A Prefeitura de São Paulo informou que o texto da Lei do Orçamento reserva à Prefeitura a possibilidade de fazer suplementos aos valores aprovados, de acordo com a política tarifária que o gestor quiser, para complementar os valores do subsídio se a tarifa não subir. Dessa forma, o subsídio pode ser aumentado após a aprovação do Orçamento, caso a Prefeitura queira.

* As informações são do jornal O Estado de São Paulo

Deixe um comentário