Move São Paulo anuncia a suspensão das obras da Linha 6-Laranja do Metrô

Medida visa reduzir impacto à continuidade do Projeto e preservar patrimônio público

562
Linha 6-Laranja
Mapa da Linha 6-Laranja

A Concessionária Move São Paulo, empresa responsável pela construção, operação e manutenção da Linha 6-Laranja, que ligará a região noroeste ao centro da cidade (Brasilândia – São Joaquim), anunciou hoje a suspensão das atividades de construção devido às dificuldades vivenciadas na contratação do financiamento de longo prazo, condição indispensável à continuidade do projeto.

A decisão resguarda o interesse público na medida em que mitiga danos à viabilidade do empreendimento e preserva as atividades já executadas, com investimentos da ordem de R$ 2,7 bilhões (vide box abaixo).

No momento, a concessionária negocia junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social e ao Governo do Estado de São Paulo alternativas para o reequilíbrio da Parceria Público Privada de implantação da Linha 6-Laranja do Metrô.

Durante esse período serão mantidos o processo de desapropriação, o atendimento à comunidade e a logística para recebimento dos tatuzões já adquiridos.

Segue inalterada a previsão de gerar 9 mil vagas durante o pico da obra e a criação de 1.000 novos postos de trabalho para início das operações da Linha 6-Laranja assim que as atividades forem retomadas, o que esperamos que ocorra no menor prazo possível.

Modelo

Essa era a primeira PPP (parceria público-privado) integral do Brasil, e englobava tanto a construção da linha e das estações quanto sua futura operação.

“Imaginávamos que, com esse modelo, poderíamos reduzir os prazos de entrega, já que o setor público, com a lei de licitações, é mais engessado”, afirma Clodoaldo Pelissioni, secretário dos Transportes Metropolitanos.

A Secretaria dos Transportes Metropolitanos afirma que “vê com preocupação a não obtenção de financiamento de longo prazo no valor de R$ 5,6 bilhões junto ao BNDES pelo consórcio Move São Paulo”.

A pasta ressalta que não há pendências do Governo do Estado com o consórcio e lamenta os atrasos: “A Secretaria dos Transportes Metropolitanos já aportou R$ 694 milhões para obras e R$ 979 milhões para desapropriação de 370 imóveis. Qualquer atraso na obra gera multa e até a rescisão contratual”.

Segundo Clodoaldo Pelissioni, uma equipe verificará nesta terça-feira (6) a situação dos canteiros das obras da linha para avaliar as próximas medidas a serem tomadas.

O secretário de Geraldo Alckmin diz ainda que o governo tentará colaborar nas negociações para o financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – o novo prazo para resolver o assunto é outubro.

Sobre a Concessionária

A Concessionária Move São Paulo é a empresa responsável pela construção, operação e manutenção da Linha 6-Laranja, que ligará a região noroeste da cidade ao centro (Brasilândia – São Joaquim). Com 15 estações e 15,3 km, a nova linha vai transportar mais de 633 mil pessoas por dia e criará mais pontos de integração na rede metroferroviária e facilitará o acesso às diferentes oportunidades que a cidade oferece nas áreas de lazer, cultura, educação e trabalho. O percurso entre Brasilândia e São Joaquim, que hoje é feito em 90 minutos, passará a ser feito em 23 minutos.

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here