Governo do Rio de Janeiro anuncia integração de tarifas entre Metrô e BRT

173

Um dia após a abertura da Linha 4 do MetrôRio, o Governo do Estado do Rio de Janeiro e a Prefeitura do Rio de Janeiro anunciaram, nesta terça-feira, dia 20 de setembro, que passará a haver integração tarifária entre o metrô e BRT (corredor de ônibus).

A Linha 4 foi construída para a Olimpíada e inaugurada no dia 1° de agosto, mas até a última segunda atendia apenas a pessoas que tinham ingressos para os Jogos Olímpicos.

A linha liga a estação General Osório, em Ipanema, na Zona Sul, à estação Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca, na Zona Oeste.

As estações Jardim Oceânico, da Linha 4, e Vicente de Carvalho, da Linha 2, têm integração física com o sistema BRT, mas não tinham a tarifária. Ao embarcar no BRT, o passageiro era obrigado a comprar novo bilhete.

Isso mudará nas duas estações a partir da próxima segunda-feira, dia 26 de setembro. O intervalo entre os embarques deve ser de no máximo duas horas.

O passageiro que utiliza os dois modais paga, atualmente, R$ 7,90 por uma viagem (R$ 3,80 de BRT e R$ 4,10 de metrô). A partir de segunda-feira, pagará R$ 7,00, uma economia de R$ 0,90.

Quem pegar BRT e metrô gastará R$ 280,00 por mês com o transporte – valor que é cerca de 32% do salário mínimo. A conta considera passagens de ida e volta e 20 dias úteis. Sem a integração, gastaria R$ 316,00.

“Esta era a perna (de integração) que estava faltando para completarmos o anel de transporte de alta capacidade”, diz o secretário municipal de Transporte, Alexandre Sansão, em referência aos sistemas BRT e metrô.

Continua não havendo integração tarifária com os ônibus convencionais e com o VLT, também inaugurado para a Olimpíada.

“Estamos estudando essa integração. É um passo de cada vez. Ainda há coisa para avançar. Pretendemos um dia anunciar a integração total do sistema de transporte, mas hoje estamos anunciando este novo passo”, disse Alexandre Sansão.

Para usar o benefício, é preciso se cadastrar no site do RioCard. O cadastro pode levar até 48 horas para ser validado. Quem quiser usá-lo na próxima segunda-feira, dia 26 de setembro deve se cadastrar até esta quinta-feira, dia 22 de setembro.

O benefício é válido apenas para pessoas que têm CPF, ou seja, não contempla estrangeiros. Estima-se que a medida vá atingir 75 mil passageiros por dia.

As autoridades esperam que a integração reduza em 95 minutos o tempo de viagem do terminal Alvorada, na Barra da Tijuca, até a estação de Metrô Carioca, no Centro. Passará de 160 minutos de carro ou ônibus para 65, dizem.

Segundo os secretários municipal e estadual de Transporte, não haverá aporte de dinheiro público – os recursos sairão dos cofres dos operadores dos sistemas, o BRT e o MetrôRio. Ambos dizem que não divulgarão como será feita a divisão de custos.

Em seu primeiro dia de uso, a nova linha de metrô teve baixa adesão, de 65 mil pessoas e 15 mil integrações. A título de comparação, as autoridades esperam que a linha venha a transportar mais de 300 mil pessoas por dia e retirar das ruas mais de 2.000 carros por hora no horário de pico no eixo Barra – Zona Sul.

Segundo o secretário estadual de transportes, Rodrigo Vieira, a demanda dos passageiros foi aumentando ao longo do dia, e o pico da tarde foi três vezes maior do que o da manhã.

A Prefeitura do Rio de Janeiro afirmou que ainda não tem dados o bastante para avaliar o impacto da inauguração da linha 4 no trânsito.

Deixe seu comentário