Passageira é atacada com seringa na Estação Paraíso do Metrô

94

A Polícia Civil investiga um novo caso de ataque de seringa, desta vez na estação Paraíso das linhas 1-Azul e 2-Verde do Metrô de São Paulo, ocorrida na quinta-feira da semana passada, dia 18.

É o segundo caso de ataque com seringa registrado pela polícia desde o dia 30 de julho, quando Antônio Nogueira de Santana, 43, acusado de atacar passageiras em estações de metrô e na região da avenida Paulista, foi preso.

O novo ataque aconteceu de manhã, quando a vítima subia uma das escadas da estação com a sua mãe. Ela contou à polícia que viu um homem parado no local e, depois, sentiu uma picada nas costas. O agressor, então, saiu correndo, segundo o relato. Depois, ao levantar a blusa, a mãe dela constatou que havia uma picada.

O boletim de ocorrência foi feito no dia seguinte, em São Caetano do Sul, e o caso é investigado pela Delpom (Delegacia de Polícia do Metropolitano). A vítima prestou depoimento na última quinta (25) e não conseguiu reconhecer o suspeito em imagens do sistema de segurança do metrô.

Os policiais tentam identificar o autor a partir das informações fornecidas pela vítima. Também investigam se o agressor é o mesmo homem que atacou uma mulher no último dia 5, na estação Sé do metrô.

A vítima deste caso, uma auxiliar de governanta de 42 anos, disse que estava na plataforma da Sé quando sentiu a picada entre a coxa e o joelho. “Senti dor por causa das minhas varizes. Estou tomando remédio e aguardando o resultado do exame”, disse. Ela não conseguiu identificar o autor.

Antônio Nogueira de Santana é apontado por sete vítimas que foram picadas. Ele cumpre prisão temporária. A polícia ainda não sabe se havia sangue na seringa usada por ele. Ao ser preso, ele negou o crime. A defesa dele não foi localizada.

Fonte: Folha de São Paulo

Deixe seu comentário