Roubos de celulares crescem no Metrô e na CPTM

229
modo avião Smartphone Bilhete Único

O número de roubos de telefones celulares nos trens e nas estações do metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) registrados pela Polícia Civil cresceu 13% (de 23 para 26 casos) entre os períodos de janeiro a abril de 2015 e deste ano.

Já a quantidade de furtos de celulares de passageiros do sistema metroferroviário caiu 15% (de 85 para 74 registros) no período.

É o que aponta levantamento inédito feito pelo portal Fiquem Sabendo com base em dados da Delpom (Delegacia de Polícia do Metropolitano), da Polícia Civil, obtidos por meio da Lei Federal nº 12.527 (Lei de Acesso à Informação). (Veja o detalhamento dessas informações no infográfico abaixo.)

Esses números não correspondem à quantidade de celulares, de fato, roubados e furtados de usuários do metrô e da CPTM no período analisado, já que parte das vítimas desses crimes não registra boletim de ocorrência.

A subnotificação não decorre apenas do desinteresse de parte das vítimas em levar o caso à polícia (por não acreditar que o aparelho será recuperado ou por outro motivo). A recusa da delegacia a registrar o boletim de ocorrência quando a vítima não informa o IMEI (código de 15 dígitos que identifica o aparelho) é outro fator que influencia a contabilização desses dados.

Fui furtado durante saidinha dos presos do Dia do Pais, relata vítima

R$ 980. Esse foi o valor pago por um administrador de redes de 38 anos que teve um aparelho de telefone celular (um Android da LG com quatro meses de uso) furtado na linha 3-vermelha do metrô, em agosto de 2015.

“O crime ocorreu durante a saída dos presidiários (Dia dos Pais). Percebi que haviam levado o aparelho quando tentei ouvir música, voltando para casa, na estação Tatuapé”, diz.

O administrador de redes não registrou boletim de ocorrência por saber que o aparelho não seria recuperado, segundo ele.

A vítima mora no Itaim Paulista, no extremo da zona leste, e trabalha em uma empresa na região da avenida Paulista, na zona oeste. Ele é usuário tanto do metrô quanto da CPTM.

“Até comprar outro celular, fiquei um mês sem telefone. Mudei meu comportamento no metrô. Não ando mais com mochila nas costas e desconfio de todo mundo que esbarra em mim. Pode ser mulher, homem, idoso”, diz.

Por que isso é importante?

A Constituição Federal de 1988 prevê, no seu art. 144, que a segurança pública corresponde a um “dever do Estado” e um “direito e responsabilidade de todos” e que ela é exercida “para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio”.

O Código Penal (Decreto-Lei nº 2.848/1940) prevê, no seu art. 157, uma pena de reclusão de quatro a dez anos e multa para quem comete o crime de roubo.

Se o crime é cometido por duas ou mais pessoas, por exemplo, a pena é aumentada em um terço.

70 suspeitos foram presos neste ano por furtar ou roubar celular no sistema metroviário, afirma polícia

Questionada sobre os crimes no sistema metroviário, a Secretaria de Estado da Segurança Pública informou, com base em dados da Delpom, que 70 suspeitos de roubo ou de furto de celulares nos trens do metrô e da CTPM foram presos neste ano.

Leia, abaixo, a íntegra da nota que a secretaria enviou à reportagem:

“A Delegacia de Polícia do Metropolitano informa que, por meio do trabalho investigativo, a polícia identificou e solicitou à Justiça a prisão de 172 pessoas por furto de celular e de 25 suspeitos de roubo, no ano passado. Neste ano, foram presos em flagrante 55 suspeitos de furto de celulares e 15 por roubo. Esses criminosos atuavam no sistema metroferroviário e foram reconhecidos pelas vítimas. No combate a essa modalidade de crime, há constantes diligências veladas e operações policiais da Delegacia de Polícia do Metropolitano, que conta com o apoio dos vigilantes do sistema.”

Segurança do sistema conta com 6.000 câmeras e trabalho de agentes descaracterizados, diz secretaria

Responsável, no âmbito administrativo, pelo metrô e pela CPTM, a Secretaria de Estado dos Transportes Metropolitanos informou, também, ue o aparato de segurança do sistema sobre trilhos conta dispõe de 6.000 câmeras de monitoramento.

Leia, abaixo, a nota encaminhada pela pasta:

“Para garantir a segurança dos usuários, a gentes de segurança fardados e descaracterizados realizam rondas nas linhas do Metrô e da CPTM. Além disso, todas as estações são monitoradas por câmeras, sendo 3.000 na CPTM, e 3000 no Metrô.

O usuário que perceber qualquer atitude suspeita nos trens ou estações pode enviar um SMS-Denúncia para a Central de Segurança da CPTM, pelo telefone 97150-4949, e no Metrô 9733-32252.

Sobre os dados apresentados, a STM (Secretaria de Transportes Metropolitanos) informa que, entre janeiro e abril deste ano, foram transportados mais de 703,7 milhões de usuários no sistema metroferroviário. Nesse mesmo período foram registrados 3 casos a mais de roubo de celular em relação a 2015 nas duas empresas.

O trabalho das equipes de segurança do Metrô tem surtido resultados tão eficientes que, nesta semana, foi presa uma quadrilha de colombianos que furtava celulares. A prisão foi registrada na Delegacia de Polícia do Metropolitano, que funciona na estação Palmeiras/Barra Funda.”

Fonte: Fiquem Sabendo

Deixe seu comentário

comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here