Número de radares cresce 57,5% na capital paulista

O número de radares em funcionamento na capital cresceu 57,5% durante a gestão do prefeito Fernando Haddad. Quando ele assumiu o governo, em janeiro de 2013, os motoristas que circulavam pela cidade eram fiscalizados por 587 equipamentos. Hoje, são 925 espalhados em ruas e avenidas de todas as regiões de São Paulo.

Nesse período, a Prefeitura de São Paulo registrou um aumento de 34% no número de infrações. Foram 11,8 milhões ano passado – 3 milhões a mais do que em 2013.

O total arrecadado com a fiscalização eletrônica cresceu 19% na mesma comparação. No ano passado, os cofres públicos municipais foram abastecidos com R$ 988,7 milhões provenientes de multas de trânsito. Para este ano, a previsão é ainda maior: R$ 1,1 bilhão.

Apesar dos números, a gestão Haddad argumenta que a expansão dos radares não pretende promover uma “indústria da multa”, mas colaborar com o programa municipal de proteção à vida. “Não há arrecadação de multa que compense de maneira nenhuma os mortos, feridos e prejuízos materiais associados aos acidentes de trânsito”, disse o prefeito durante o lançamento de um portal, no dia 24, que mostra os aparelhos e a relação das autuações dos últimos três anos.

Segundo a Prefeitura, a ação resultou em uma queda de 21,4% nas mortes de trânsito, na comparação de janeiro a novembro de 2014 com o mesmo período do ano passado. A queda já seria um reflexo da redução da velocidade máxima das principais vias da cidade, como as Marginais.

Como faz parte da política municipal, a expansão da fiscalização eletrônica deve ser mantida por Fernando Haddad. De acordo com a Secretaria Municipal de Transportes, mais equipamentos serão instalados de acordo com a necessidade. Atualmente, a zona sul é a que concentra o maior número de equipamentos – cerca de 35% do total.

Mapa

As vias mais movimentadas da capital são as mais fiscalizadas, segundo listagem oficial da Prefeitura. Quem circula pelas Marginais Tietê e Pinheiros, por exemplo, e pelas Avenidas 23 de Maio, Rebouças, Paulista, Celso Garcia, Sapopemba e a Radial Leste corre o risco de ser flagrado por diversas irregularidades, como trafegar em velocidade acima da permitida, avançar semáforo vermelho, invadir a faixa exclusiva de ônibus e executar manobra proibida.

Segundo balanço publicado recentemente pela Prefeitura, a multa por velocidade acima do limite é o tipo de infração mais cometida hoje, com cerca de 4,2 milhões de autuações, um terço do geral no ano passado.

* As informações são do jornal O Estado de São Paulo

Deixe um comentário