Pesquisa aponta que 78% defendem regulamentação do Uber no Brasil

Pesquisa feita pelo Datafolha a pedido do Uber em quatro capitais brasileiras revelou que 78% dos entrevistados acreditam que o serviço do aplicativo deve ser regulamentado no país.

Somente 4% das pessoas avaliavam que o Uber deveria ser proibido. Outros 17% consideravam que a empresa deveria continuar a operar no modelo atual, sem qualquer regulamentação do poder público – e em muitas cidades considerado ilegal.

Das 1.775 pessoas ouvidas pelo instituto de pesquisa, portanto, 95% gostariam que o aplicativo que conecta motoristas a passageiros continuasse em atividade.

A pesquisa foi feita em novembro de 2015 nas cidades de São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Brasília, e tem margem de erro de dois pontos percentuais.

Seus resultados, assim, não captam os efeitos causados pela recente onda de protestos de sindicatos e agressões cometidas por motoristas de táxi contra condutores e passageiros do Uber.

Em São Paulo, onde a prefeitura recentemente concluiu uma consulta pública sobre um decreto para regulamentação da atividade do Uber e serviços similares, 75% dos entrevistados gostariam de regras para a empresa. No Rio de Janeiro, esse número chegou a 79%, em Belo Horizonte, 86%, e em Brasília, 83%.

Os funcionários do Datafolha também explicaram como funciona o serviço de transporte privado por meio de aplicativos, sem mencionar o nome de nenhuma empresa, e perguntaram qual avaliação os entrevistados faziam desse tipo de serviço. 73% dos entrevistados afirmaram que o serviço melhora as cidades, enquanto 20% disseram acreditar que não há nenhum impacto.

Depois, os entrevistadores perguntaram se as pessoas conheciam ou tinham usado o Uber. As pessoas que já haviam usado avaliaram o serviço com uma nota média de 9,2 do total de 10.

“A consulta pública sobre transporte individual em São Paulo teve a participação recorde de mais de 6 mil pessoas, de acordo com a Prefeitura. Cerca de 90% dos comentários feitos foram positivos, apoiando a iniciativa da prefeitura. Esta nova pesquisa apenas reforça o que a consulta pública já mostrou – 90% da população de São Paulo aprova esta nova opção de mobilidade para a cidade. Uma regulação positiva é o que a cidade quer – agora, cabe ao prefeito publicá-la”, afirma Guilherme Telles, diretor-geral da Uber no Brasil.

Deixe um comentário